10 doenças comuns que são reduzidas com uma boa alimentação

doenças causadas pela má alimentação

Com a correria do dia a dia, a maioria das pessoas acaba não tendo uma alimentação saudável, lembrando de se alimentar bem apenas quando surge algum tipo de doença. Muitos não se atentam que, com uma alimentação balanceada é possível evitar uma série de doenças causadas pela má alimentação.

Alguns fatores como não ter horário para comer (beliscar a toda hora), pular refeições, consumir alimentos industrializados (ricos em açúcar e gordura) e fazer dietas da moda (responsáveis pelo efeito sanfona) diminuem a disponibilidade de nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo e isso resulta no aparecimento de doenças.  

Confira a seguir 10 doenças que podem ser evitadas com uma alimentação adequada:

Obesidade

Obesidade é uma doença crônica caracterizada pelo excesso de gordura corporal. As causas da obesidade são fatores genéticos, ambientais e psicológicos. Entre os fatores ambientais está o consumo excessivo de calorias e o sedentarismo.

Colesterol elevado

O colesterol é produzido pelo nosso organismo para desempenhar funções importantes, como a formação de hormônios e ácidos biliares. Porém, o excesso de colesterol pode trazer complicações sérias para nossa saúde. Entre essas complicações estão aumento do risco de doenças cardiovasculares, que hoje são consideradas uma das principais causas de morte.

O aumento do colesterol pode estar associado a diversos fatores. Uma má alimentação e a ingestão de grandes quantidades de alimentos fontes de gordura, como a gema do ovo, carnes, leite integral e embutidos, são alguns dos principais fatores.

Por esse motivo, devemos buscar bons hábitos no consumo alimentar e estilo de vida. Dessa forma, conseguimos que os índices do LDL, conhecido como “colesterol ruim” e do HDL – “colesterol bom” – fiquem dentro dos índices saudáveis.

Gastrite

Gastrite é uma inflamação na mucosa do estômago, que pode ser aguda ou crônica. Nos casos de gastrite crônica, o agente causador mais comum é a infecção pela bactéria h. pylori. A gastrite também pode ocorrer devido ao fator hereditário, stress, má alimentação, realização de poucas refeições ao dia com grande volume de alimentos e com grandes intervalos entre cada refeição.

A recomendação é evitar alimentos que causem desconforto e irritem ainda mais a mucosa, como as frituras em geral, doces, bebidas à base de cafeínas, bebidas gaseificadas, bebidas alcoólicas, alimentos ácidos, condimentados e outros.

O ideal para evitar qualquer problema é fracionar as refeições, ou seja, comer mais vezes ao dia, em menores quantidades.

Diabetes

É uma doença caracterizada pela falta de produção ou produção insuficiente de insulina ou também pela ação insuficiente da insulina, que faz com que haja o aumento na taxa de glicose no sangue. A diabetes Tipo II está relacionada com o excesso de peso e a obesidade.

Hipertensão

A hipertensão ocorre quando os níveis de pressão arterial encontram-se acima dos valores de referência para a população em geral. Podemos citar como causas da hipertensão a obesidade, consumo excessivo de álcool e de sal, tabagismo, sedentarismo e fator hereditário.

Para controlar a pressão arterial é fundamental ter uma alimentação balanceada, praticar exercícios e diminuir o consumo de sódio. Diminua o consumo de sal de cozinha e de alimentos ricos nesse mineral.

Fique de olho nos rótulos! Os alimentos industrializados geralmente são ricos em sódio.

Anemia

Uma das causas da anemia é a falta de ferro na alimentação.

A deficiência de ferro causa redução na produtividade no trabalho, resposta imune e infecções, podendo também alterar o desenvolvimento psicomotor, o processo de aprendizado e a concentração.

Doenças Cardiovasculares

As três principais recomendações para evitar as doenças cardiovasculares são: ingerir sal moderadamente (isto é, consumir por dia no máximo 3 colheres de rasas [café]), comer oito a dez porções de frutas, verduras e legumes diariamente e evitar alimentos gordurosos, principalmente aqueles com altos níveis de gorduras saturadas como as frituras.

Câncer

A alimentação inadequada é classificada como a segunda causa de câncer que pode ser prevenida. São responsáveis por até 20% dos casos de câncer nos países em desenvolvimento, como o Brasil, e por responsáveis aproximadamente por 35% das mortes pela doença.

Uma alimentação rica em frutas, legumes, verduras, cereais integrais e pobre em alimentos ultraprocessados (como aqueles prontos para consumo e bebidas açucaradas) pode prevenir de 3 a 4 milhões de casos novos de câncer a cada ano no mundo.

Gripe

Uma alimentação saudável também pode ajudar a reduzir o aparecimento de gripes. Os alimentos in natura são melhores que suplementos para a prevenção da gripe, pois nos oferecem todos os nutrientes que o corpo necessita. Por exemplo, comer uma laranja é melhor do que tomar pastilhas de vitamina C, pois a laranja oferece um conjunto de nutrientes (magnésio, potássio, vitaminas B6, B9 e antioxidantes) que os suplementos não contêm em sua composição.

Osteoporose

Esta doença está muitas vezes relacionada a uma dieta pobre em cálcio e rica em carnes, gorduras e açúcares refinados. Devemos evitar o consumo excessivo desses alimentos, preferindo consumir os que são ricos em cálcio, para melhorar a absorção deste mineral e prevenir a osteoporose.

 

Seguindo essas dicas de alimentação você irá prevenir doenças causadas pela má alimentação e conquistar uma vida mais saudável!

Referências

Prevenção e Fatores de Risco: Alimentação. Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/cancer/site/prevencao-fatores-de-risco/alimentacao. Data de acesso: 27/04/2017.

Patrícia Orlando. Conheça onze maneiras de prevenir um AVC. Disponível em: http://veja.abril.com.br/saude/conheca-onze-maneiras-de-prevenir-um-avc/. Data de acesso: 27/04/2017.

Ricardo Jorge. Sabe como prevenir? Disponível em: https://www.sns.gov.pt/wp-content/uploads/2016/03/DoencasCardiovasculares.pdf. Data de acesso: 27/04/2017.

SICHIERI, Rosely et al. Recomendações de Alimentação e Nutrição Saudável para a População Brasileira. Instituto de Medicina Social, São Paulo, v. 44, n. 3, jan/2000.

Giana M. Ross Toledo

Nutricionista | CRN 8-1385

Formada em Nutrição pela Universidade Filadélfia de Londrina (UNIFIL) desde 2000 e pós-graduanda em Gestão de Qualidade de Alimentos pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) desde 2002.

Veja todos os posts de Giana M. Ross Toledo