15 . maio . 2018 Comportamento Alimentar  Motivação  

5 atitudes que destroem sua motivação para emagrecer e alcançar uma vida mais saudável

5 atitudes que destroem sua motivação para emagrecer e alcançar uma vida mais saudável

Você sabe o que fazer, mas não tem motivação para mudar. Ou sua motivação para emagrecer está lá nas alturas, e de repente você acaba desistindo no meio do processo e a alimentação saudável vai ficando de lado. Isso te soa familiar? Vamos conversar sobre motivação?

O que é a motivação?

A motivação é o sentimento que faz com que as pessoas ajam para atingir seus objetivos! E, muitas vezes, a falta de motivação é uma das maiores queixas para alcançar uma alimentação equilibrada.

Mas por que isso acontece? Conheça 5 hábitos que limitam sua motivação para emagrecer e alcançar uma vida mais saudável!

1. Querer mudar tudo de uma só vez

O processo de mudança gera um sentimento de ansiedade e de urgência em alcançar o resultado esperado. Assim, é comum querer mudar muitas coisas de uma vez. Em um primeiro momento, pode parecer que isso funcione e que em poucos dias já seja possível ver um resultado concreto, porém sustentar muitas mudanças de uma vez pode ser difícil, e você pode acabar desanimando.

2. Fazer Dietas restritivas

Realizar dietas restritivas também são um fator importante. Limitar demais a alimentação pode dificultar o convívio social, levando muitas pessoas a deixarem de sair, comer fora ou encontrar amigos quando fazem uma dieta. Realizar algo que prejudica sua vida em outros aspectos nunca será motivador, além disso cortar alimentos ou grupos de alimentos não é nada saudável!

3. Colocar metas muito grandes

Colocar metas muito grandes podem desestimular. Por exemplo ao invés de pensar que você precisa perder 10kg, pense em perder 1kg por mês, é algo muito mais confortável. De preferência, não estabeleça metas de peso, mas de mudanças de comportamento, o peso virá como consequência da mudança de hábitos.

4. Querer para já

Uma outra questão é almejar por um resultado rápido. Se foca muito na conquista final e pouco no processo até lá, portanto quando esse processo demora mais do que o esperado e as pessoas desistem. Lembre-se que a vida é composta muito mais por processos do que por resultados: você estuda 5 anos para um dia ter o título profissional, você namora alguns anos para então se casar, ou seja, o caminho é tão importante quanto a conquista então não se afobe!

5. Desanimar com deslizes

Além disso é preciso entender que ao buscar um objetivo, seja uma alimentação equilibrada ou outros, será necessário passar por altos e baixos. O sucesso não é uma linha reta. Portanto, não desmotive quando algo não sair como o planejado, use a experiência como aprendizado para fazer diferente em um próximo momento.

A desmotivação pode surgir por esses e outro inúmeros fatores, e muitas vezes atrelada a momentos de dificuldade! Mas não é o que acontece que gera o sentimento de desmotivação, mas a forma como lidamos ou percebemos os acontecimentos.

Leia também: 10 atitudes positivas para mudar hábitos alimentares

Por último, vamos refletir:

  • Quais questões que te impulsionam a mudar?
  • Quais os benefícios que uma alimentação equilibrada pode te proporcionar? Podem ser relacionados à saúde, disposição, estética, entre outros.

Anote e leia sempre que precisar de um incentivo!

Agora é reconhecer esses hábitos e muda-los aos poucos, você vai sentir que sua motivação para emagrecer e ter uma vida mais saudável vai se tornar bem mais constante! 🙂

Referências

ALVARENGA, M. et al. Nutrição Comportamental. 1 ed. Barueri- SP: Editora Manole Ltda, 2016.

Raquel Gaetani Nutricionista

Raquel Gaetani

Nutricionista | CRN 3-51512

Formada desde 2015 em Nutrição e Metabolismo pela Universidade de São Paulo (USP), especialista em Saúde da Família e Comunidade pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pós-graduanda em Comportamento Alimentar.

Apaixonada pela nutrição e pela cozinha, acredito na transformação da relação das pessoas com a comida. Por isso trabalho a alimentação para além de seu papel biológico de nutrir o corpo, mas principalmente considerando seus aspectos culturais, sociais e psicológicos.

Busco reaproximar as pessoas dos alimentos, da comida de verdade e do ato de cozinhar, incentivando uma alimentação equilibrada e prazerosa.

Acredito em uma nutrição gentil, que ofereça um cuidado verdadeiro, proporcionando sintonia entre corpo e mente através da reeducação alimentar, percepção corporal e desenvolvimento da autonomia. Uma nutrição que segue na contramão do nutricionismo e terrorismo nutricional que encontramos hoje em dia.

Veja todos os posts de Raquel Gaetani