7 dicas para você iniciar a sua reeducação alimentar ainda esse ano!

dicas reeducação alimentar

Você vive escutando por aí sobre a importância de uma alimentação saudável para obter mais saúde e qualidade de vida. Existem várias informações sendo vinculadas por aí e com isso, você nem tem noção de por onde começar? Quer melhorar sua alimentação?

Confira abaixo 7 dicas de organização para iniciar a sua reeducação alimentar.

DICA 1: Defina suas metas e objetivos!

Quer se sentir melhor com seu corpo? Quer ter uma vida mais saudável ou ganhar massa magra? O que essas mudanças trarão para sua vida? Reflita! Quando você notar os benefícios e quiser de verdade ter uma vida mais saudável, você vai conseguir. Essa vontade precisa partir de você e não da pressão e cobrança dos outros. Realize um acompanhamento nutricional e anote suas metas, além disso, organize-se e planeje-se para colocar orientações propostas em prática. Agora como se organizar? Calma, daremos mais dicas abaixo. É importante estar ciente de que o processo de reeducação alimentar exige dedicação e paciência, pois é um processo de mudanças gradativas. Você precisa assumir um compromisso próprio antes de qualquer coisa, portanto, devagar e sempre!!

DICA 2: Faça as pazes com os alimentos

Comer nunca se restringiu a saciar a sensação física da fome, mas também a satisfazer a vontade de comer, o apetite, e ao lidar com as nossas emoções. A alimentação envolve o prazer, a angustia, a cultura, o social, a saúde, a tristeza, o conforto, a ansiedade e a felicidade.

Então alimente-se de forma consciente!

  • Não retire do dia a dia todos os alimentos que lhe dão prazer
  • Adapte suas receitas preferidas por versões mais saudáveis
  • Tenha paciência
  • Não se pese todos os dias
  • Fuja do “na segunda eu começo”

DICA 3: Coma comida de verdade e faça trocas inteligentes

Com todo o processo de industrialização, passamos a nos alimentar com mais produtos industrializados do que alimentos in natura. Por isso, é essencial voltarmos a comer mais “comida de verdade”, ou seja, alimentos da forma em que vêm da natureza, assim como faziam nossos bisavós, em uma época com muito menos problemas de saúde. A indústria alimentícia não é vilã, mas a grande maioria dos alimentos ultraprocessados, costuma ter excesso de calorias, açúcar, sal, gorduras e aditivos químicos que trazem maléficos à saúde. Confira nessa matéria quais alimentos você deve preferir, moderar, limitar e quais você deve evitar!

DICA 4: Decifre os Rótulos dos Alimentos, mas não conte calorias

Para poder fazer melhores escolhas dentre os alimentos industrializados, aliando praticidade à saúde, é essencial entender como funcionam os rótulos dos alimentos que compramos. Não importa o valor calórico do que irá comer e sim a qualidade nutricional, pois você pode ter resultados mais positivos comendo 150 kcal de uma porção de oleaginosas do que 150 kcal de chocolate. O rótulo é a principal forma de comunicação entre os produtos e você.

O que é mais importante ver nos rótulos?

  • Lista de ingredientes: A lista de ingredientes fica em ordem decrescente de quantidade (primeira chave para escolhas mais saudáveis), e é nela que estão informações importantes para alérgicos ou intolerantes (glúten, leite, ovos, etc.). Portanto, o primeiro ingrediente citado é o que tem em maior quantidade e o último em menor quantidade.
  • Prazo de validade: dia e mês, ou mês e ano.
  • Informação Nutricional Obrigatória: segunda chave para escolhas mais saudáveis.
    • Porção: quantidade média que deve ser consumida (em massa ou volume) – quase sempre não se refere a embalagem inteira.
    • % VD: número percentual que indica percentual de valores diários tendo uma dieta de 2000 calorias como referência.
    • Medida Caseira: indica medidas usuais da porção (copo, fatia, xícara, etc.)
    • Valor Energético, Carboidratos, Proteínas, Gorduras Totais, Gorduras Saturadas, Gorduras Trans, Fibra alimentar, Sódio.

DICA 5: Organize-se para realizar suas compras e organize sua geladeira

Não tem como iniciar uma reeducação alimentar sem fazer suas compras, né? Afinal se não tiver alimentos saudáveis em casa, como vai melhorar os hábitos? A tarefa de ir ao mercado não é tão fácil quanto parece, pois quando chegamos lá, nos deparamos com diversos tipos de alimentos, marcas e muitas tentações. Siga essas dicas:

  • Faça um lanchinho antes de ir: Fazer mercado com fome é um perigo, você pode acabar comprando mais do que precisa.
  • Leve uma lista de compras: Isso lhe ajudará a ficar focado durante as compras, além de tornar a ida ao mercado mais rápida.
  • Leia os rótulos: Isso evita que você caia nas “pegadinhas” das indústrias e acabe pagando mais caro por um produto que se diz uma coisa que não é!
  • Fuja de industrializados!
  • Atenção com as guloseimas!

Chegando em casa, como organizar a geladeira?

  • Alimentos com validade menor na frente
  • Ovos devem ser lavados apenas na hora de consumir
  • Sobrou almoço? Guarde em potes de vidro depois que esfriar
  • Não coloque panos nas prateleiras!
  • Tampe bem os alimentos para evitar cheiro e contaminação
  • Vai descongelar carne para amanhã? Deixe na geladeira!
  • Sobrou milho na lata? Sempre transfira para outro pote para guardar

DICA 6: Tenha o hábito de Cozinhar

“Cozinhar é a melhor coisa que você pode fazer pela sua saúde. Cozinhe e celebre a comida!” Sophie Deram

Sabemos que demanda muito tempo cozinhar suas próprias refeições, mas como explicado anteriormente, com um pouco de organização e planejamento é possível em pouco tempo, cozinhar preparações saudáveis e ao mesmo tempo gostosas e práticas, pois assim você controla melhor cada ingrediente que é utilizado, pois usa mais ingredientes frescos e minimamente processados. Além disso, você já pode aproveitar e deixar algumas marmitas prontas.

“Cozinhar pode ajudar a relaxar e aliviar a mente das preocupações e estresses do dia a dia. Sentar à mesa com tranquilidade, sozinho ou com pessoas queridas, e saborear uma refeição preparada com carinho faz muito bem para o coração”.

DICA 7: Tenha um estilo de vida saudável

Não adianta comer certinho e não dormir bem ou não realizar exercícios físicos com regularidade. É necessário ter um estilo de vida saudável, assim reduz estresse e ansiedade, além de melhorar a disposição para suas atividades diárias. Só assim dará conta de alcançar as metas propostas. Lembre-se: a melhor alimentação é aquela que você é capaz de manter a longo prazo. Levar uma dieta restritiva pro resto da vida é difícil e não garante resultados satisfatórios. Por isso o ideal é você reeducar seu paladar e sua rotina para ter uma alimentação saudável e sustentável pra sempre, com saúde e qualidade de vida.

Referências

Demôro. Renata. Reeducação alimentar: cinco ações para mudar sua rotina. Disponível em: <http://gnt.globo.com/bem-estar/materias/reeducacao-alimentar-cinco-acoes-para-mudar-sua-rotina.htm>.

Ministério da Saúde. Guia Alimentar para a População Brasileira. 2ª edição. Brasília. 2014. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf>. Data de acesso: 28/11/2016.

Nutrichat. 10 dicas para começar uma reeducação alimentar. Disponível em: <http://blog.nutrichat.com.br/10-dicas-para-comecar-uma-reeducacao-alimentar/>.

Mirelli Dantas Andrade

Nutricionista | CRN 3-41051

Formada em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo desde 2013, especializada em Nutrição Esportiva pela Faculdade Integrada AVM desde 2015 e em Informática em Saúde pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) desde 2016. Possui aprimoramento profissional em nutrição clínica pela Faculdade de Saúde Pública – USP. Atua como consultora de Nutrição, oferecendo hábitos mais saudáveis para que a qualidade de vida e produtividade seja prioridade para empresários.

Veja todos os posts de Mirelli Dantas Andrade