20 . set . 2017 Gestão de Tempo  Produtividade  

Absenteísmo: como calcular e reduzir

absenteísmo

O absenteísmo é um dos indicadores mais importantes no departamento de RH. Nada mais é do que a ausência do colaborador no ambiente de trabalho e na prática refere-se ao número de horas de trabalho perdidas, seja por faltas, saídas ou atrasos, de maneira justificada ou não, por parte dos funcionários. Continue lendo a matéria e aprenda a como calcular absenteísmo.

Absenteísmo = estar fora, afastado ou ausente

A ausência do trabalhador pode ocorrer por diversos motivos, veja só:

  • Absenteísmo voluntário – é a ausência do trabalho, por razões particulares, falta de motivação para realizar suas tarefas;
  • Absenteísmo por doença – inclui todas as ausências por doenças, diagnosticadas por procedimento médico;
  • Absenteísmo por patologia profissional – compreende as ausências por acidente de trabalho ou doença profissional;
  • Absenteísmo legal – faltas ao trabalho amparadas por lei, como licença maternidade, doação de sangue, eleições e serviço militar;
  • Absenteísmo compulsório – falta ao trabalho por imperativo de ordem legal, ainda que o trabalhador não deseje, tais como: suspensão imposta pela chefia, prisão, etc.

Além disso, existem fatores culturais extras ou interempresariais, como emendar feriados, copa do mundo e feriados religiosos não oficiais.

Vários fatores contribuem para o absenteísmo, como a falta de infraestrutura, líderes inexperientes, metas intangíveis, comunicação inadequada e ineficiente, desmotivação dos funcionários, doenças ocupacionais e assédio moral.

O que muitos empresários não têm conhecimento é que o absenteísmo pode causar uma série de problemas à empresa, gerando um cenário negativo, pois acaba aumentando os custos e dificultando a concretização dos objetivos.

Afinal, o que o absenteísmo pode provocar?

  • Desorganização das atividades;
  • Aumenta o tempo de produção;
  • Queda na qualidade dos serviços prestados;
  • Limitação de desempenho da equipe devido à sobrecarga;
  • Obstáculos para os gestores;
  • Gera impacto financeiro, pois aumenta os custos para os empregadores.

Como calcular o índice de absenteísmo?

Cada empresa pode calcular a taxa de absenteísmo de acordo com a sua realidade, seguindo algumas etapas:
Siga as etapas abaixo e aprenda como calcular absenteísmo:

1ª Etapa

Calcule: quantas horas de trabalho no período de um mês toda sua equipe deve cumprir. (sem faltas, atrasos ou saídas antes do horário)?

Exemplo: Equipe com 10 funcionários, com carga horária de 40 horas semanais (8 horas diárias), expandindo para o mês com 20 dias úteis, a empresa tem à sua disposição 1.600 horas por mês com toda equipe.

Equipe =  1.600 horas

2ª Etapa

Calcule: some os atrasos, faltas e saídas antecipadas da equipe.

Atrasos – some os minutos atrasados e transforme em horas.

Dias faltados – transforme os dias faltados em horas.

Agora some as horas de atrasos e de faltas

Vamos supor que o absenteísmo na empresa, ou seja, os atrasos, faltas e saídas somem 40 horas no mês.

Horas de absenteísmo = 40 h/mês

3ª Etapa

Calcule: divida o número de horas perdidas pelo número de horas trabalhadas e multiplique por 100.

Após identificar o número ideal de horas trabalhadas por sua equipe durante o mês e com o controle de presença em mãos, as 1.600 horas devem ser comparadas com as horas em que os funcionários estiveram ausentes (faltas e atrasos), para chegar a uma porcentagem que sirva de parâmetro.

40 (horas de absenteísmo) /  1.600 (horas contratadas) x 100 = 2,5

2,5 % = taxa de absenteísmo no mês.

O ideal é que o índice esteja abaixo de 3%.

Viu só como é fácil calcular absenteísmo e descobrir o número de horas desperdiçadas em sua empresa?

O impacto de 5 horas negativas em uma equipe pequena, de apenas 10 pessoas, por exemplo, é muito maior do que num time de 100 profissionais. Por isso o absenteísmo deve ser proporcional à quantidade de horas trabalhadas do grupo como um todo.

O índice de absenteísmo é um indicador útil e serve como termômetro, ajudando a medir o clima dentro da organização.

E como reduzir o absenteísmo na empresa?

Confira algumas sugestões que podem contribuir para reduzir as taxas de absenteísmo e mantê-las sob controle.

  • Manter a limpeza e higiene no ambiente de trabalho: um ambiente limpo evita o surgimento de alguns problemas de saúde, como viroses, dermatites, comprometimento das vias respiratórias, etc.
  • Fortalecer a cultura de prevenção de acidentes e utilização do Equipamento de Proteção Individual (EPI): campanhas de segurança, como SIPAT e treinamentos devem ser realizados.
  • Promover ações voltadas à Qualidade de Vida dos trabalhadores: quando as pessoas cuidam da própria saúde, o reflexo positivo é sentido no dia-a-dia das empresas.
  • Incentivar à prática de exercícios laborais: com certeza melhorará a qualidade de vida e bem-estar dos trabalhadores.
  • Estimular funcionários a desenvolverem novas competências técnicas e comportamentais: quando os colaboradores possuem consciência da importância do seu trabalho, um diferencial significativo acontece. Já quando desconhecem a importância do seu trabalho, perdem o poder e a oportunidade de decidir e de opinar sobre suas atividades, ficam insatisfeitos e desmotivados, tornando-se fortes candidatos ao absenteísmo.
  • Reavaliar a gestão dos funcionários: a presença de gestores autoritários é um dos fatores que leva profissionais a se ausentar com frequência do trabalho ou procurarem outras oportunidades. Um relacionamento estabelecido em elevados padrões de profissionalismo e com respeito mútuo, quando chefias e subordinados tratam-se como iguais em sua natureza humana, o absenteísmo, junto com outros fatores como satisfação, motivação e rotatividade será beneficiado.
  • Focar em ações para estimular o espírito de trabalho em equipe: quando os colaboradores entendem que a equipe unida é mais forte e vai longe, aumenta a vontade de atender às expectativas da empresa. Além disso, é interessante aplicar pesquisas de satisfação para a equipe.
  • Avaliar políticas de recursos humanos: Incentivar os colaboradores com benefícios e recompensa salarial aumenta o grau de satisfação, de motivação e o índice do absenteísmo é menos afetado.
  • Investir no transporte dos funcionários: quando os colaboradores chegam na empresa seguros e sem atrasos, a produtividade é maior.
  • Melhorar a relação entre líderes e trabalhadores: estimulando uma comunicação clara, aberta e tranquila.
  • Adequar a ergonomia no trabalho: adequação de cadeiras, apoio de punho para evitar a LER (Lesão por esforços repetitivos).

Como anda o nível de produtividade de sua empresa? Os funcionários têm batido as metas, trabalhado com dedicação, faltando pouco e chegando no horário? Seguindo essas dicas com certeza a sua empresa será menos afetada pelo absenteísmo!

Referências

Cardoso. V. Descubra como calcular o índice de absenteísmo de sua empresa com rapidez, facilidade e praticidade. Jul. 2016. Disponível em: <http://www.vanusacardoso.com.br/blog/indice-de-absenteismo/

Penatti. I. Zago. J. Quelhas. O. Absenteísmo: As conseqüências na gestão de pessoas. Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia. Disponível em: >http://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos06/898_Seget_Izidro%20Penatti.pdf> Data de acesso: 26/04/2017.

Neto. A. Absenteísmo nas empresas. Centro Universitário de Brasília. Brasília. Nov. 2016. Disponível em: < http://repositorio.uniceub.br/bitstream/123456789/934/2/20401048.pdf>. Data de acesso: 26/04/2017.

Qualiforma. Como calcular o absenteísmo? Disponível em: <http://qualiforma.net/qualiforma/wp-content/uploads/2015/04/como-calcular-Absenteismo-qualiforma.pdf>. Data de acesso: 26/04/2017.

Teixeira. S. Saiba o que é o absenteísmo nas empresas. Disponível em: <https://www.cpt.com.br/cursos-gestaoempresarial/artigos/saiba-o-que-e-o-absenteismo-nas-empresas>. Data de acesso: 26/04/2017.

Mirelli Dantas Andrade

Nutricionista | CRN 3-41051

Formada em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo desde 2013, especializada em Nutrição Esportiva pela Faculdade Integrada AVM desde 2015 e em Informática em Saúde pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) desde 2016. Possui aprimoramento profissional em nutrição clínica pela Faculdade de Saúde Pública – USP. Atua como consultora de Nutrição, oferecendo hábitos mais saudáveis para que a qualidade de vida e produtividade seja prioridade para empresários.

Veja todos os posts de Mirelli Dantas Andrade