30 . set . 2016 Bariatria  Dietas  Emagrecimento  Mudança de Hábitos  

Fazer dieta desacelera o metabolismo e engorda!

dieta desacelera o metabolismo

A busca pelo “corpo ideal” contribuiu para a vasta oferta de dietas de emagrecimento. Dieta do dr. Atkins, Dieta Dunkan, Dieta da Lua, da Sopa, dos Sucos, dos Pontos… Com certeza você já ouviu falar de alguma delas! A promessa de uma perda de peso rápida e fácil pode parecer atraente para muitas pessoas, mas será que funciona?

O termo “dieta” está popularmente associado à ideia de um regime alimentar restritivo, normalmente de baixas calorias. E aí é que mora o perigo.

Cuidado! Dieta desacelera o metabolismo e engorda!

Veja no Ciclo Vicioso das Dietas porque dietas muito restritivas podem desacelerar ainda mais seu metabolismo e causar o ganho de peso:

Dieta desacelera o metabolismo | Ciclo Vicioso das Dietas | EXCESSO DE PESO – DIETA RESTRITIVA – RESPOSTA DO ORGANISMO À DIETA (Perda De Massa Magra, Redução De Taxa Metabólica Basal, Aumento Do Armazenamento De Gordura) – ANSIEDADE E FOME – ABANDONO DA DIETA – EXCESSO DE PESO

Perda Muscular

Quando privamos nosso corpo das calorias de que ele precisa – especialmente as calorias advindas dos carboidratos – entramos no chamado “modo de inanição”. Esse mecanismo, que permitiu a sobrevivência dos nossos ancestrais que passavam por grandes períodos de privação alimentar, resulta numa maior eficiência do aproveitamento das poucas calorias ingeridas. A maior perda inicial de peso provocada por essas dietas é de água. Isso porque o corpo passa a utilizar uma reserva energética chamada glicogênio, estocado junto com moléculas de água no fígado e no músculo. A partir de então, o corpo passa a usar principalmente os músculos como fonte de energia, e cada vez menos a gordura.

Redução do Metabolismo

O tecido muscular é um dos responsáveis pela definição da nossa taxa metabólica basal, isto é, a velocidade com que nosso corpo queima calorias mesmo em repouso. Simplificando, quanto menos músculo nós temos, menos calorias queimamos. Pesquisas mostram que a perda muscular pode diminuir em até 30% a taxa metabólica do organismo de pessoas entre 20 e 70 anos.

Na verdade, ocorre um conjunto complexo de reações que contribuem para a diminuição do gasto energético. Dietas muito restritivas (de 800 a 1200 kcal por dia) também provocam uma queda nos níveis dos hormônios insulina e leptina no sangue, o que favorece o estoque de energia na forma de gordura, e causam uma diminuição de enzimas e hormônios como a adrenalina, que queimam gorduras, desacelerando o metabolismo. Portanto, esse tipo de dieta desacelera o metabolismo sim! Tome cuidado!

Deficiência de Nutrientes

Além disso, dietas com baixa caloria oferecem baixas quantidades de carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais. E esse desbalanço de nutrientes está relacionado aos mais diversos efeitos: desde dores de cabeça, fraqueza, tontura, náusea e ansiedade, até o aparecimento de doenças como as do coração, diabetes, câncer e outras.

Ganho de Peso: “O Efeito Sanfona”

O maior problema é que dietas muito restritivas são difíceis de serem mantidas em longo prazo. Os níveis baixos de energia irão gerar fome, o ânimo em seguir a dieta inevitavelmente irá diminuir e os antigos hábitos alimentares acabam voltando. Mas devido à taxa metabólica basal diminuída pela perda rápida de peso, quando se volta a ingerir uma grande quantidade de alimentos acontece o reganho de peso – muitas vezes maior do que o que se perdeu, o que caracteriza o famoso “efeito sanfona”.

Comportamento Compulsivo

Para piorar ainda mais a situação, evidências mostram que as restrições e autoimposições que as pessoas fazem durante a prática de dietas restritivas geram comportamentos de compulsão e/ou restrição alimentar com maior frequência o que contribui para um efeito rebote, o qual pode estar associado à perda da autoestima, mudanças de humor, distração e aumento do estresse.

Aqui vão 3 grandes verdades metabólicas!

1. Você deve COMER para perder peso!

Uma alimentação balanceada, composta de todos os macronutrientes (carboidrato, proteínas e gorduras) e micronutrientes (vitaminas e minerais) necessários ao seu corpo, é a maneira mais eficaz de se conquistar um metabolismo rápido.

dieta desacelera o metabolismo | Macronutrientes | Proteína, Gordura e Carboidratos

2. Para perder peso não adianta contar CALORIAS!

Se você se submeter a uma dieta de baixa caloria, provavelmente você irá perder peso, mas isso não melhora seu metabolismo, pelo contrário, faz com que seus músculos sejam consumidos como fonte de energia – e não a gordura. Pensar sobre a qualidade das calorias, mais do que a quantidade que você está ingerindo, é a solução.

dieta desacelera o metabolismo | Comparativo de calorias nos alimentos - 200 calorias - alimentos por gramas

3. Para perder peso é importante se EXERCITAR!

Além de consumir os nutrientes necessários para evitar a perda de músculo, os exercícios físicos podem te ajudar a ganhar massa muscular. Enquanto exercícios aeróbicos ajudam a tonificar os músculos e queimar gorduras, exercícios de força e resistência ajudam a aumentar a massa muscular.

Saber equilibrar o prazer e a saúde é a chave para a melhora da autoestima e da disposição! Para ajudar você a se alimentar melhor e conhecer seus limites, conte com um nutricionista, profissional de saúde capacitado que valoriza o prazer que uma refeição deve proporcionar aliando a promoção da saúde ao bem-estar.

 

Referências

CONNOLLY J, ROMANO T, PATRUNO M. Effects of dieting and exercise on resting metabolic rate and implications for weight management. Family Practice. 1999; 16 (2): 196-201.

KALYANI RR, CORRIERE M, FERRUCCI L. Age-related and disease-related muscle loss: the effect of diabetes, obesity, and other diseases. Lancet Diabetes Endocrinol. 2014; 2(10): 819–829.

KELLOW J. Dieting and Metabolism – how dieting can affect metabolism. Disponível em: <http://www.weightlossresources.co.uk/calories/burning_calories/starvation.htm> Acesso em: 22 de setembro de 2016.

TOMYIAMA AJ, MANN T, VINAS M, HUNGER JM, DEJAGER J, TAYLOR SE. Low Calorie Dieting Increases Cortisol. Psychosom Med. 2010; 72(4): 357–364.

Letícia Watanabe Ribeiro

Nutricionista | CRN 3-41511

Formada em nutrição pela Universidade de São Paulo desde 2014 e coleta mais de três anos de experiência na área, atuando na reeducação alimentar em empresas que procuram aumentar seu desempenho com a mudança de cultura.

Veja todos os posts de Letícia Watanabe Ribeiro