14 . out . 2017 Doces e Bolos  Receitas e Delícias  

Gelatina Caseira – confira a receita e aprenda a fazer a sua!

gelatina caseira

Você gosta de gelatina? Convenhamos, é a sobremesa mais fácil de fazer do mundo né? Só pegar o saquinho, misturar com água quente e colocar na geladeira. Em poucas horas, temos uma sobremesa deliciosa!

Mas, você sabia que a gelatina tradicional não é tão saudável assim como se diz por aí? Ela é carregada em açúcar, corante e sódio!

Então, que tal aprender a fazer a sua própria gelatina? Fazendo em casa, você tem a vantagem de poder inventar o sabor que quiser. Gelatina de amora, de maracujá, de morango com maracujá, de uva! Hummm deu vontade só de imaginar! E assim, você tem a certeza de que está comendo uma #comidadeverdade. Vamos fazer?

Confira a receita de Gelatina Caseira de Morango, e depois me conta de qual sabor você fez sua gelatina!

Gelatina Caseira de Morango

Ingredientes

  • 1 pacote de gelatina incolor;
  • 20 morangos médios;
  • 200 ml de água;
  • 1 colher de chá de suco de limão;
  • 1 colher de sopa de mel.

Modo de preparo

Faça a gelatina incolor conforme a embalagem e reserve. Coloque os morangos, o suco de limão e o mel com 200ml de água no liquidificador e bata até ficar homogêneo. Adicione a gelatina e bata em velocidade baixa rapidamente. Coloque em potes e deixe na geladeira até firmar. Você pode colocar morangos picadinhos no fundo do pote, para ter uma gelatina com pedaços. Bom apetite!

Referências

Live Simply. Homemade Strawberry Jello Cups. Disponível em: http://livesimply.me/2016/04/04/homemade-strawberry-jello-cups/. Acesso em 13/10/2017.

Fotos: Livesimply.me

Priscila Tomaz Nutricionista

Priscila Tomaz

Nutricionista | CRN 9-12812

Apaixonada pela nutrição. Tem um brilho no olhar em poder ajudar as pessoas a melhorar a qualidade de vida e a alcançar seus objetivos. Tem para si que alimentar-se é mais que nutrir o corpo. É, também, relacionar-se com o emocional e o comportamental. Tem como objetivo mostrar que a nutrição não é um conjunto de regras com vários tabus e sim uma ciência que leva em consideração a pessoa como um todo, sua individualidade, sua personalidade, sua cultura. Que alimentar-se bem é simples e deve ser um prazer e não uma tortura ou terrorismo.

Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Viçosa desde 2012 e pós-graduada em “Nutrição e exercícios aplicados à prevenção e ao tratamento de doenças” pela Universidade Estácio de Sá desde 2014.

Veja todos os posts de Priscila Tomaz