18 . jul . 2017 Mindful Eating  Mindfulness  Mindfulness  

Mindfulness: o que é e por que está se falando tanto sobre o assunto?

o que é mindfulness

Mindfulness está em alta! Nos últimos anos, testemunhamos uma explosão de artigos, capas de revistas e programas televisivos que buscam definir e operacionalizar Mindfulness como a cura para quase tudo. Ouvimos falar da importância de viver o momento presente, dos benefícios que podem emergir a partir de um estado de maior consciência e de como meditar faz bem a saúde, pode ajudar na gestão do estresse e no manejo de emoções difíceis. Tentador, não é?

O que é Mindfulness?

Existem muitas definições de Mindfulness e, com isso, muitas referências, usos e confusões! É preciso saber do que falamos quando falamos de Mindfulness. E o que podemos ou devemos esperar, se é que devemos esperar alguma coisa.

Mindfulness é um termo elástico que comporta significados distintos. É frequentemente traduzido para o português como atenção plena e pode significar um traço psicológico, um estado mental, um conjunto de práticas ou, ainda, programas estruturados de intervenção aplicados em diferentes contextos.

O estado mental de Mindfulness, amplamente citado, se traduz por uma capacidade inata de atenção, momento a momento, sobre as nossas experiências internas e/ou externas. Somos convidados a trazer a atenção para o que acontece em nosso corpo, em nossa mente e para a forma como nos relacionamos com aquilo percebemos, pensamos e sentimos. É vivenciar a partir de dentro apropriando-se da sua experiência seja ela qual for naquele momento.

Explorando o Mindfulness

Pouco a pouco vamos entrando em contato e compreendendo melhor como o funcionamento da nossa mente influencia as nossas percepções e ações e como essas influências constroem padrões que repetimos de forma automática dia após dia.

É sair do piloto automático, no qual agimos de maneira mecânica e condicionada e ganhar consciência das lentes – cognitivas, emocionais, sociais, culturais – que utilizamos para fazer sentido das nossas experiências e relações. Qual foi a última vez que você experimentou um alimento em toda a sua riqueza de sensações? Sentiu os aromas presentes, observou as cores, texturas em vez de apenas colocar o alimento na boca sem, muitas vezes, sequer sentir o seu sabor?

É importante destacar que não se trata apenas de prestar a atenção, mas também como prestamos atenção; o que fazemos ou como lidamos com aquilo que percebemos. Trazemos uma atitude de abertura, curiosidade não crítica, gentileza e aceitação para o que vivemos? Ou nos criticamos incessantemente, nos “torturando” e nos frustrando toda vez que a nossa experiência não corresponde às expectativas que criamos para ela? Mindfulness nos convida a trabalhar COM e não CONTRA as nossas experiências. Afinal, como se diz por aí: “o que você resiste, persiste”.

E como podemos cultivar o estado mental de Mindfulness em nosso dia-a-dia?

Cada pessoa apresenta maior ou menor capacidade de Mindfulness (traço) e todos nós temos momentos/vivências de Mindfulness (estado). Podemos ampliar a vivência do estado de Mindfulness através de práticas específicas. E aqui entram as práticas de Mindfulness que tem como função treinar, cultivar o estado mental de Mindfulness.

E a meditação, entra aonde?

As práticas de Mindfulness são classificadas como práticas formais e informais. Uma das práticas formais mais conhecidas, e considerada uma das mais efetivas, é a meditação, porém ela não é a única. Podemos exercitar um estado de presença e consciência em toda e qualquer atividade do nosso dia a dia.

Trata-se de parar, sentir a respiração e levar a atenção para o que estamos experimentando naquele momento – na mente e no corpo – notando o que está presente e a partir dessa consciência escolher como agir.

Ter uma atitude mindful cria espaço para estarmos mais conectados a nós mesmos e aos outros, para aprendermos a autorregular as nossas emoções, a conhecer as nossas “medidas”, a ter maior clareza mental e a experimentar a vida em alta definição: com mais liberdade e bem-estar.

E por último, quando falamos de Mindfulness, podemos estar nos referindo a programas estruturados de intervenção executados em variados contextos e com diferentes objetivos. De escolas à hospitais, empresas à universidades, equipes de alta performance à pessoas, assim como eu e você, que buscam construir uma vida com mais sentido, consciência, equilíbrio e propósito.

De longe o tema se esgota aqui. São muitos os benefícios associados ao estado de Mindfulness, entretanto não se trata de milagre e nem uma solução mágica para todos os seus problemas. Esse estado ou habilidade exige prática e comprometimento. É sobre saber e sentir quando e como lidar com as nossas dificuldades, como criar espaço para a criatividade e a autenticidade. É sobre intenção e discernimento. 

 É sobre ter consciência de quem se é, do que se busca e do caminho que se percorre.
É abrir-se para a vida em toda a sua complexidade. Com consciência.
 
ingrid pena psicóloga

Ingrid Pena

Psicóloga | CRP 08/20413

Psicóloga metida à antropóloga. Residiu fora do país por 07 anos e atuou em contextos variados como hospitais, centros de acolhimento para população migrante e refugiada e empresas. Atualmente trabalha na Secretaria de Saúde com população Travesti e Transexual. Apaixonada pela diversidade e o florescimento humano.
Veja todos os posts de Ingrid Pena