Omeprazol: O uso crônico pode fazer mal?

omeprazol

omeprazol O Omeprazol é apenas um dos medicamentos que pertencem a uma classe chamada “inibidores da bomba de prótons”, que são drogas capazes de suprimir a secreção de ácido gástrico e são usadas no tratamento de doença péptica, úlceras gástricas, gastrite por H. pylori, doença do refluxo gastroesofágico e dispepsia, por exemplo. Geralmente o uso desses medicamentos alivia os sintomas, mas, quando o paciente suspende o uso, eles podem voltar. Isso leva muitas pessoas a continuarem tomando o medicamento continuamente sem conversar com o médico ou então a se automedicar sempre que surge algum sintoma gástrico.
E quais os riscos do uso indiscriminado do Omeprazol e similares?

Existem vários estudos sugerindo consequências maléficas:
Pneumonia
Apesar dos tratos respiratórios e digestivos serem separados, eles tem algo em comum: a boca. Uma pequena quantidade de conteúdo gástrico pode viajar pelo esôfago e entrar na traqueia enquanto dormimos. Uma vez que o estômago está menos ácido, algumas bactérias conseguem se proliferar facilmente e podem chegar aos pulmões, favorecendo a ocorrência de pneumonia.
Metabolismo ósseo
Há indicativos de que a baixa acidez estomacal possa impedir a absorção adequada de cálcio e acelerar a perda desse mineral pelo organismo, levando, a longo prazo, a maior risco de desenvolvimento de osteoporose.
Deficiência de vitamina B12
Essa é a consequência que mais preocupa os nutricionistas. A vitamina B12 está presente principalmente em carnes e sua deficiência pode levar a anemia e demência, por exemplo. Para que esse micronutriente seja absorvido, precisa do ácido gástrico, que vai separá-lo das proteínas do alimento. Uma pessoa saudável tem boas reservas de vitamina B12, mas a longo prazo a deficiência pode ocorrer, como mostram alguns estudos. Todas essas hipóteses precisam ser mais estudadas, mas certamente são indícios de que é preciso ter cautela com esses medicamentos. A solução mais segura? Procurar seu médico, questionar sobre o uso contínuo desses medicamentos e procurar também um nutricionista, que pode te ajudar a reduzir sintomas gástricos através da retirada ou redução do consumo de alguns alimentos, sem necessidade de medicamento. Referências: HARVARD MEDICAL SCHOOL. Do PPIs have long-term side effects? 18 Mar 2016. Disponível em WANNMACHER, L. Inibidores da bomba de prótons: indicações racionais. OPAS. Uso Racional de Medicamentos: Temas Selecionados, Brasília, 2(1), p. 1-6, 2004. LIMA, Ana Paula Vaz de; NETO FILHO, Mário dos Anjos. Efeitos em Longo Prazo de Inibidores da Bomba de Prótons. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research, 5(3), p.45-49, 2014.
Por Natali Carol Fritzen Nutricionista – CRN 8/8432