09 . dez . 2016 Mindful Eating  Mindful Eating  Mindfulness  

Por que devo mastigar bem os alimentos?

mastigar bem os alimentos

Você, em alguma época da sua vida, com certeza já escutou dos seus pais ou avós que você tem que mastigar bem os alimentos, comer mais devagar, não é mesmo? Quando éramos crianças comíamos rápido pra ir brincar, quando crescemos comemos rápido por falta de tempo e assim vamos levando esse hábito de “devorar a comida” por décadas.

Mas você já parou para pensar por que é tão importante mastigar bem os alimentos?

1. Para reduzir o tamanho do alimento

A mastigação permite que o alimento seja triturado e reduzido a um tamanho adequado para ser engolido, evitando engasgos.

2. Para auxiliar a digestão

A digestão é o processo de “quebra” do alimento até sua forma mais simples para poder ser absorvido pelo nosso organismo. A digestão de carboidratos e gorduras já inicia na boca através do contato do alimento com enzimas presentes na saliva, portanto se o alimento não foi muito bem mastigado, ele terá menos contato com essas enzimas e a digestão/absorção pode ser prejudicada.

3. Para ajuda na saciedade

Estudos mostram que comer de forma rápida provoca uma resposta mais fraca de dois hormônios (PYY e GLP-1) que tem a função de promover a saciedade. Então, se você come rápido, libera uma menor quantidade desses hormônios (quando comparado a uma mastigação em velocidade moderada), demorando mais tempo para se sentir saciado e aumentando a ingestão de calorias.

Ou seja, mastigar rapidamente vem sendo associado com a dificuldade de percepção de saciedade, com a quantidade de alimento que ingerimos, com o aumento da ingestão calórica e, consequentemente, com o aumento do peso corporal.

Leia também: Entenda os hormônios da saciedade e coma menos sem ficar com fome

Mastigação rápida x peso corporal

Um estudo realizado nesse ano no Japão buscou analisar o efeito da combinação de comer muito tarde no período da noite (2 horas antes de deitar), pular o café da manhã (pelo menos 3 dias por semana) e comer rapidamente, com o excesso de peso.

➜ Qual foi o resultado? Comer rapidamente foi significativamente associado com o sobrepeso. Esse resultado foi verificado pelo ato isolado de comer rápido e também em combinação com comer tarde e/ou pular o café da manhã.

Outros estudos feitos anteriormente também mostram a associação entre comer rápido e o Índice de Massa Corporal (IMC), indicando que essa prática aumenta o risco de sobrepeso/obesidade, pois a velocidade que comemos influencia na quantidade de comida que ingerimos.

Vamos experimentar comer mais devagar e mastigar bem os alimentos?

  • Coloque a comida na boca e saboreie os alimentos, não precisa ter pressa!
  • Não coma vendo TV, lendo, mexendo no celular, etc;
  • Solte o garfo enquanto você mastiga;
  • Só coloque mais comida na boca após ter engolido.

O simples fato de controlar a velocidade e mastigar bem os alimentos pode ser uma mudança comportamental importante para nos ajudar a controlar nosso peso. Então, vale a pena fazer um esforço e reservar um tempo maior para nossas refeições, aproveitando o sabor dos alimentos e as companhias que temos na mesa!

Referências

APOLINÁRIO, R.M.C; MOARES, R. B; MOTTA, A.R. Mastigação e dietas alimentares para redução de peso. Rev CEFAC, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 191-199. 2008.

LEE, J.S; et al. Combined eating behaviors and overweight: Eating quickly, late evening meals and skipping breakfast. Elsevier, Tóquio, v. 21, p. 84-88. 2016

MARUYAMA, K; et al. The joint impact on being overweight of self reported behaviours of eating quickly and eating until full: Cross sectional survey. BMJ Research, Osaka, p. 1-5. 2008

MOURÃO, D.M, BRESSAN, J. Influência de alimentos líquidos e sólidos no controle do apetite. Revista de Nutrição, Campinas, v. 22, n. 4, p. 537-547. 2009

YAMANE, M; et al. Relationships between eating quickly and weight gain in Japanese university students: A longitudinal study. Obesity, Tóquio, v. 22, n. 10, p. 2262-2266. 2014.

Isabela Costa Feitosa

Nutricionista | CRN 6-12899

Formada em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo desde 2011 e já atuou como nutricionista clínica no Hospital Igesp no período entre os anos de 2012 e 2013. Atualmente, é nutricionista na Energié, auxiliando colaboradores e gestores a terem melhor qualidade de vida por meio da reeducação alimentar.

Veja todos os posts de Isabela Costa Feitosa