11 . maio . 2018 Dietas  Emagrecimento  Refletindo com a Nutri  

Qual é a melhor dieta para mim? A nutri ajuda você a descobrir!

Qual é a melhor dieta para mim? A nutri ajuda você a descobrir!

“Nutri… Já tentei todas as dietas conhecidas e NADA funciona pra mim.” Se identificou com essa frase? Então hoje vou te propor um novo ponto de vista. Que tal parar com o “Qual é a melhor dieta para mim?”? Pare de procurar uma dieta que sirva pra você! Crie a sua própria dieta!

É isso! Vamos aprender tudo sobre a palavra dieta, pensar de pontos de vista diferentes e assim criar uma forma de se alimentar que seja especialmente criada para você!

Primeiro vamos saber a origem da palavra dieta

Dieta vem do grego – “diaita” e significa “modo de vida”. Não tem nada a ver com regime, restrição, cortar calorias... conotações que foram sendo atribuídas à palavra com o passar do tempo.

Uma das primeiras conotações atribuídas à palavra dieta, veio do filósofo grego Esopo. Na fábula do Cisne e do Corvo, Esopo demonstrou que para se parecer com o cisne, o corvo passou a assumir hábitos de vida do mesmo. Ou seja, o corvo passou a assumir a “dieta” do cisne.

Hummm, uma fábula de 620-564 a.C. parece tão atual, né? Quantas vezes você já encontrou uma amiga que apareceu com muitos quilos a menos e você perguntou: “Nossa! O que você fez?”. Pois é… Esopo gostava de dar lições de vida através de animais que falavam, agiam e pensavam como humanos. E na fábula do corvo e do cisne, o corvo acabou adoecendo e morrendo tentando mudar sua natureza para parecer com o cisne.

A lição de Esopo sobre dieta (modo de vida) é – Podemos mudar de hábitos, mas nunca desrespeitar nossa individualidade (natureza).

Já podemos pensar na palavra dieta de outra forma agora?

A partir desse momento, toda vez que você ler “dieta” já fica claro que isso quer dizer “hábitos” e mais especificamente, pois estamos falando de nutrição, “hábitos alimentares”.

Então nada de pensar em dieta como um regime restritivo onde se devem cortar calorias, tipos de alimentos, etc. E principalmente, não esqueça que você é um indivíduo! Portanto o que vale para você, pode não valer para outra pessoa e vice-versa.

Agora vamos falar do OBJETIVO das dietas!

Não sei você, mas a maioria das pessoas que entra num consultório de nutrição tem como objetivo EMAGRECER. E isso pode sim ser um objetivo importante, mas no geral é só pensamento em estética. As pessoas se esqueceram do objetivo principal dos alimentos ou da dieta (hábito alimentar), que deveria ser NUTRIR o corpo e garantir SAÚDE!

E saúde não significa ausência de doenças, saúde é o bem-estar físico, social e emocional do indivíduo. Agora, me fala se você vai ser uma pessoa com disposição, capaz de interagir em grupos sociais e ficar feliz, quando está cortando alimentos que você tanto gosta da sua rotina alimentar?

Por isso, a primeira defesa do termo “dieta” que faço é: Sua dieta deve garantir sua saúde! Ou seja, seus hábitos alimentares devem suprir suas necessidades físicas (fisiológicas), sociais (culturais e econômicas) e emocionais (gostos e emoções).

Então vamos ao primeiro ponto de vista da sua dieta: A forma como você está se alimentando atualmente está nutrindo suas emoções?

  • Como você se sente após comer o que você tem comido regularmente?
  • Você se sente satisfeito e feliz?
  • Você fica triste e se sentindo culpado?
  • Você se reúne com amigos e familiares e bate um bom papo quando vai comer?
  • Você come escondido e não gosta que ninguém veja o que está comendo para não julgarem sua dieta?

Todas essas perguntas dizem muito sobre o quanto a sua dieta está garantindo o aspecto emocional da sua saúde. E é muito importante que você consiga se alimentar tranquilo e ficar satisfeito emocionalmente. Não pense que emagrecer te fará feliz, pense que se alimentar de uma maneira mais feliz te trará uma saúde melhor. O emagrecimento pode ser uma consequência, mas o principal é ter um hábito mais saudável emocionalmente!

Segundo ponto de vista: Seus hábitos alimentares são compatíveis com seu meio sociocultural?

Você é brasileiro e não desiste nunca, mas no almoço você se farta num “cheeseburguer”, no “happy hour” você curte um monte de cervejinha, adora uns “snacks” nas refeições intermediárias e, para compensar, no dia seguinte você faz um “detox” e toma uns “shakes”.

É fácil ver como a cultura brasileira está sumida da dieta dos brasileiros. A parte social da dieta se perdeu faz tempo. Há algumas décadas o hábito era ter um belo prato de arroz, feijão, hortaliças e carne no almoço e no jantar, nos lanches e café da manhã era de praxe encontrar laticínios, cereais integrais e frutas. Atualmente vemos todos os termos em inglês para substituir uma refeição completa.

Uma boa forma de garantir a parte social da saúde alimentar é resgatar a cultura do meio que você vive. Comer pratos típicos do seu país, da sua região. Isso também envolve a parte econômica da cultura. De maneira geral, alimentos in natura são mais baratos que os prontos para consumo. Ainda mais quando estão na época (outro ponto importante da cultura alimentar). O Brasil é um país tão rico em alimentos.

A única diferença é que, algumas vezes, você mesmo terá que elaborar uma receita. Quem disse que isso é ruim? Nesse momento você pode juntar amigos ou familiares e ainda unir o aspecto emocional da alimentação! Além de garantir a segurança alimentar! Outro aspecto importante do social na alimentação, é que esses alimentos sejam seguros do ponto de vista higiênico-sanitário. E quando você mesmo elabora suas receitas, você olha mais de perto tudo o que está entrando no seu prato, podendo garantir que sejam higienizados e elaborados de forma mais segura.

Terceiro aspecto da saúde que deve ser nutrido por sua dieta: físico!

Sim, deixei o físico por último de propósito! Porque muitas vezes pensamos no aspecto físico da alimentação como aquilo que aparece no espelho. E não é bem disso que estou falando.

Aqui entra toda a sua biologia, seu metabolismo, sua individualidade, genética, etc. Nesse momento é importante você saber o que seu corpo realmente fala para você. É observando esse aspecto que você vai se perguntar:

  • Estou me sentindo bem com os alimentos que compõem a minha dieta?
  • Me sinto disposto?
  • Tenho força para realizar todas as atividades que minha rotina exige?
  • Estou ficando doente?

Aqui você se pergunta se está acima do peso. Não por estética, mas porque seu corpo pode sim adoecer por carregar um sobrepeso. E é nesse ponto que você mais observa os excessos ou escassezes que você pode estar cometendo na sua alimentação. Entra aqui tanto a qualidade, quanto a quantidade do que você está comendo.

É claro que todo mundo que está atento aos sinais do corpo sabe perfeitamente quanto de comida deve ingerir para suprir suas necessidades. Mas você realmente sabe identificar as melhores combinações de nutrientes e os momentos certos para inseri-los na sua dieta? Pode ser que você já tenha perdido tanto o instinto de fome e saciedade, quanto o de perceber quais nutrientes está precisando. Nesse momento entra a ajuda da Nutricionista, que estudou para saber respeitar suas necessidades físicas, lembrando dos outros aspectos que devem fazer parte da sua dieta – o emocional e o social.

“Qual é a melhor dieta para mim, nutri?” Você achou que eu iria responder essa sua pergunta com mais uma dieta milagrosa, né?

Bom, se você chegou nesse ponto da leitura, deu para perceber que não existe uma dieta milagrosa.

Dieta, nada mais é do que um hábito de vida em que você equilibra emocional, social e físico na forma de se alimentar.

Dieta abarca toda uma dinâmica que envolve muito além de se alimentar. Dieta é hábito! Diaita é como você se alimenta, se exercita, dorme e se diverte!

Mas se mesmo depois de entender o que deveria ser uma dieta ideal para você, ainda está pensando em seguir modismos ou dietas restritivas, tenho dois artigos para você ler! Confira o artigo “Começou uma dieta para emagrecer rápido? Cuidado com as dietas restritivas!”  e “8 segredos sobre as dietas restritivas que ninguém te conta” e saiba os riscos de recorrer a uma dieta dessa!

nutricionista debora dias cabral

Débora Dias Cabral

Nutricionista | CRN 4-12100272

Graduada em Nutrição pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) em 2012 e Mestre em Saúde Pública na subárea de Epidemiologia pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) desde 2015.

Defende o conceito ampliado de saúde. Muito além da ausência de doenças, a saúde é o bem estar físico, social e emocional. Os alimentos são essenciais para suprir essas esferas.

Veja todos os posts de Débora Dias Cabral