09 . dez . 2017 Receitas e Delícias  Snacks e Lanchinhos  

Receita de Pão de Queijo Mineiro

E quem resiste ao tradicional pão de queijo mineiro?! Igual a ele não existe! Há várias marcas no mercado, mas igual ao caseiro não há, e ele ainda é mais saudável! Dá pra ser melhor? Não dá não…

O pão de queijo é uma marca do mineiro que se espalhou pelo Brasil, em qualquer lugar que a gente vá tem pão de queijo! Mas cá entre nós, pão de queijo igual ao de minas não existe, ele é o melhor! Sei que sou suspeita para falar afinal sou mineira,  mas por isso mesmo eu vim ensinar a vocês como fazer um pão de queijo mais saudável, mais leve e com menos sódio.

Incremente seu pão de queijo mineiro

Além disso, podemos aumentar a quantidade de proteína, recheando-o com peito de frango, ou podemos incrementar fibras, adicionando chia a massa do pão de queijo!

O pão de queijo industrializado contém um alto teor de sódio e de gordura, além de conter aromatizantes e conservantes e nada disso é bom para a nossa saúde.

Então mãos na massa e vamos aprender a fazer o legítimo pão de queijo mineiro!

E saboreá-lo com um delicioso café! “O trem baum sô!”

Pão de Queijo Mineiro

Ingredientes

  • 1k de polvilho doce
  • 200ml de óleo
  • 500ml de leite semidesnatado
  • 500g de queijo curado
  • 6 ovos
  • 1 colher de sopa rasa de sal

Modo de preparo

Escalde o polvilho com o óleo e o leite (ferva o óleo e o leite juntos e quando levantar fervura coloque no polvilho e mexa até virar uma “farofa”);

Coloque o sal e os ovos e mexa bem; se necessário colocar leite (em média se acrescenta mais uns 250ml de leite) até dar o ponto (não pode ser muito duro);

Adicione o queijo e mexa bem, se necessário adicione mais um pouco de leite e sal.

Passe um pouco de óleo nas mãos e enrole os pães de queijo;

Você pode assá-los ou congelá-los!

Bom apetite!

Priscila Tomaz Nutricionista

Priscila Tomaz

Nutricionista | CRN 9-12812

Apaixonada pela nutrição. Tem um brilho no olhar em poder ajudar as pessoas a melhorar a qualidade de vida e a alcançar seus objetivos. Tem para si que alimentar-se é mais que nutrir o corpo. É, também, relacionar-se com o emocional e o comportamental. Tem como objetivo mostrar que a nutrição não é um conjunto de regras com vários tabus e sim uma ciência que leva em consideração a pessoa como um todo, sua individualidade, sua personalidade, sua cultura. Que alimentar-se bem é simples e deve ser um prazer e não uma tortura ou terrorismo.

Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Viçosa desde 2012 e pós-graduada em “Nutrição e exercícios aplicados à prevenção e ao tratamento de doenças” pela Universidade Estácio de Sá desde 2014.

Veja todos os posts de Priscila Tomaz