06 . ago . 2018 Controle do Stress  

8 dicas essenciais para controlar o estresse no trabalho e suas graves consequências

8 dicas essenciais para controlar o estresse no trabalho e suas graves consequências

Você e sua equipe vivem estressados? Pois saiba que a consequência não é só um ambiente ruim dentro da empresa. Vai muito além disso: estresse está relacionado com aumento de peso, distúrbios alimentares e até hipertensão. Confira dicas essenciais para controlar o estresse no trabalho e evitar todas essas consequências!

O que é estresse crônico?

O estresse crônico nada mais é do que viver em estado de alerta, sem desligar-se do trabalho.

Mas como fugir disso se o chefe pede resultados para ontem, o celular toca direto quando está em casa e os e-mails se acumulam na caixa de entrada?

Eu não estou falando que é fácil, mas existem algumas medidas simples, porém que exigem disciplina, que você pode tomar agora mesmo para melhorar esse quadro. Antes de falar quais são, deixa eu te contar algumas coisas para ver se você se identifica.

Por quê precisamos controlar o estresse no trabalho?

Você sente que tem muita fome? Pessoas em estresse crônico muitas vezes tem aumento de apetite. Isso porque a parte do cérebro responsável pela resposta ao estresse está ligada com a parte que controla o apetite. Nessas pessoas, a vontade de comer alimentos mais “apetitosos” e consequentemente mais calóricos, aumenta, como se fosse uma forma de aliviar o estresse.

Estudos mostram que pessoas estressadas têm maior acúmulo de gordura na região abdominal.

E é o excesso de gordura nessa região do corpo que preocupa os profissionais de saúde, pois ela está altamente ligada a doenças cardiovasculares.

E aí, se identificou? Encontrou motivação para quebrar esse ciclo de estresse agora?

Então vamos ver as 7 dicas relacionadas com a alimentação que eu selecionei para você começar a desestressar hoje mesmo!

7 dicas essenciais para controlar o estresse no trabalho e suas consequências

1. Evite bebidas energéticas

Evite café, chá mate e energéticos em excesso.

2. Conheça sua “fome”

Antes de fazer uma refeição, pergunte a si mesmo: estou com fome ou é só vontade de comer?

3. Preste atenção aos alimentos

Mastigue DEVAGAR! Soltar os talheres entre uma garfada e outra.

4. Alimentos não desestressam!

Entenda que consumir determinados alimentos não vai resolver a situação estressante que está vivendo.

5. Não use os alimentos como fuga

Entenda que comer um doce ou fritura de vez em quando não é um problema! O problema é “descontar” o estresse nesses alimentos diariamente. Quando for comer algo assim, saboreie e aprecie o momento!

6. Pratique uma atividade física!

Ela ajuda a abaixar os níveis de cortisol, o “hormônio do estresse”. Comece com uma caminhada no horário do almoço, que tal?

7. Desligue-se durante as refeições! 

Ficar 30 minutos longe do celular não vai fazer a empresa explodir, não é? Aposto que quem precisar falar com você pode esperar um pouquinho. Aprenda a fazer do almoço e do jantar um momento de relaxamento, longe das obrigações do trabalho, como deve ser.

8. Busque prazer além da alimentação

Busque atividades prazerosas para seu tempo livre: ler um livro, ver um filme, andar de bicicleta…

Sua empresa se preocupa com o bem-estar dos funcionários?

Esse é um ponto chave para reduzir gastos, aumentar produtividade e melhorar o clima empresaria. Para saber mais sobre o trabalho da Energié e como podemos ajudar sua empresa, conheça nossos serviços!

Referências

FIAMONCINI, R. L.; FIAMONCINI, R. E. O stress e a fadiga muscular: fatores que afetam a qualidade de vida dos indivíduos. Lecturas, Educación Física y Deportes – Revista Digital. Buenos Aires, A. 9, n.66, Nov. 2003. Disponível em http://www.efdeportes.com/efd66/fadiga.htm. Acesso em 09 nov 2015.

ADAM, T. C., EPEL, E. S. Stress, eating and the reward system. Physiology and Behaviour. V. 91, p. 449-458, 2007.

O’REILLY, G. A. et al. Mindfulness-Based Interventions for Obesity-Related Eating Behaviors: A Literature Review. Obesity reviews: an official journal of the International Association for the Study of Obesity. v.15, n.6, p.453-461. 2014.

Natali Carol Fritzen

Nutricionista | CRN 8-8434

Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2012, Natali procura impactar a vida de pessoas por meio de sua profissão. Já realizou residência multiprofissional em Atenção Hospitalar na área de concentração Saúde do Adulto e do Idoso no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2015. Tem pós-graduação em Nutrição Esportiva pela Universidade Positivo (2017).

Veja todos os posts de Natali Carol Fritzen