fbpx
20 . fev . 2018 Mudança de Hábitos  

Você ainda toma refrigerante? Confira 5 alternativas para substituir o refrigerante

substituir o refrigerante

Que o refrigerante está presente na mesa do brasileiro há décadas todo mundo sabe, mas você sabia que seu consumo aumentou cerca de 400% desde 1970? O que era uma bebida de consumo esporádico, para festas e finais de semana, passou a fazer parte da rotina das pessoas, ocupando o lugar muitas vezes do leite, chás e sucos naturais. Vem comigo descobrir alternativas para substituir o refrigerante pra lá de saborosas e muito mais saudáveis!

O que é o refrigerante?

Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e Bebidas não Alcóolicas (ABIR), “o refrigerante é uma bebida industrializada, não alcoólica, carbonatada, adicionada de aromas, com alto poder refrescante”. Tá…você viu algum nutriente, alguma substância benéfica nesta lista? Não né! Ao longo dos anos trocamos bebidas de alto valor nutricional ricas em vitaminas, minerais e fibras por bebidas ricas em açúcar e componentes químicos!

Açúcar enlatado!

A organização Mundial da Saúde recomenda o consumo máximo de 25 gramas de açúcar por dia. Em uma latinha de refrigerante de 350ml tem entre 36 e 49g de açúcar… o dobro da recomendação diária!

O excesso de açúcar está diretamente relacionado com o aumento de peso, que por sua vez aumenta o risco de doenças crônicas como hipertensão, diabetes e cardiopatias. Parece exagero? Cientistas mostram em uma pesquisa publicada na revista científica Obesity em 2014, que adultos que tomavam um copo de bebidas industrializadas por dia tinham duas vezes mais chances de apresentar problemas em seus níveis de colesterol, triglicérides, resistência à insulina, pressão sanguínea e demais parâmetros quando comparados com quem não consome este tipo de bebida.

Tchau cálcio?!

Fora o açúcar, qual o problema?O pH do refrigerante é ácido! O pH é uma escala que separa substâncias em ácidas, neutras e alcalinas. Nosso sangue tem um PH mais alcalino, e quando ingerimos refrigerantes, que tem o pH ácido, nosso corpo retira carbonato de cálcio das reservas ósseas para neutralizar esse ácido, e tudo isso é eliminado na urina depois, ou seja…Tchau cálcio!

A eliminação de cálcio na urina é baixa, mas associada a baixa ingestão de alimentos fonte de cálcio pode resultar em maior risco de fraturas ou doenças ósseas.

Este Ph ácido afeta nossa saúde bucal também, pois é o meio perfeito para o desenvolvimento de bactérias: Caries! Além disso, algumas substâncias do refrigerante podem danificar o esmalte dentário e alterar a sua coloração, e nas crianças o efeito é ainda mais nocivo!

Olha as celulites aí, minha gente!

E as celulites? Não há estudos que relacionem o consumo de refrigerante diretamente ao aparecimento das temidas celulites! Mas o excesso de peso, principalmente localizado no quadril, aliado ao consumo elevado de açúcar e sódio aumenta o aparecimento delas! Então você pode escolher: refrigerante rico em açúcar ou o zero rico em sódio? Ambos vão trazer as mesmas consequências!

E você ainda toma refrigerante?

Vamos trocar esta bebida rica em fatores de predisposição de doenças por algo mais saudável e que hidrate de verdade?

Depois de tudo isso que eu te explique, deu pra entender que o refrigerante não hidrata né? Com tanto açúcar, sódio e componentes químicos ele só dá trabalho para os rins e para o fígado!

Confira 5 alternativas saudáveis para substituir o refrigerante

Mas nutri, sinto falta das bolinhas de gás!

Que tal então fazer um refrigerante de mentira com água com gás e suco natural? Fica uma delícia e vai te ajudar no processo de largar o refri e passar para as opções mais naturais!

Com tantas opções saudáveis e deliciosas, ficou fácil de fazer essa troca! 😉
E aí, qual a sua opção favorita?

Referências

RUFF, RR. O consumo de bebidas açucaradas é associado à morbidade e mortalidade global do adulto através de diabetes mellitus, doença cardiovascular e câncer relacionado à adiposidade. Evid Based Med. 2015 Dez; 20 (6): 223-4.

TEIXEIRA, AF. Et al. Estudo do Ph de refrigerante a base de cola. Anais VIII SIMPAC – Volume 8 – n. 1 – Viçosa-MG – jan. – dez. 2016 – p. 408-412 <disponível em: https://academico.univicosa.com.br/revista/index.php/RevistaSimpac/article/view/674/826> Acesso em 19/02 as 09:40.

SINGH, GM, Et Al. Estimated global, regional, and national disease burdens related to sugar-sweetened beverage consumption in 2010. Circulation (2015) 132:639–66.10.1161/CIRCULATIONAHA.114.010636 <disponpivel em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4550496/> Acesso em 19/02 as 09:45

Bomba de açúcar: por que os refrigerantes fazem tão mal ao corpo? <Disponível em: http://www.sobrepeso.com.br/bomba-de-acucar-por-que-os-refrigerantes-fazem-tao-mal-ao-corpo/> Acesso em 19/02/2018 ás 09:48.

Perigo na latinha: bebidas açucaradas provocam 184 mil mortes por ano. <Disponível em: http://www.sobrepeso.com.br/perigo-na-latinha-bebidas-acucaradas-provocam-184-mil-mortes-por-ano/> Acesso em 19/02 as 09:15.

SALGADO, J. O consumo excessivo de refrigerantes e a saúde. <Disponível em; http://www.vyaestelar.com.br/post/8832/o-consumo-excessivo-de-refrigerantes-e-a-saude> Acesso em 19/02 as 09:02.

DINIZ, LT. LIMA, DMB e VALENÇA, AMG. Análise de Ph, Sólidos Solúveis Totais e Alterações Microestruturais em Esmalte Promovidas por Refrigerantes à Base de Cola. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. Volume 21 Número 3 Páginas 221-228 2017.

ROMBOLDI, AJ. Et Al. Fatores associados ao consumo regular de refrigerante não dietético em adultos de Pelotas, RS. Rev Saúde Pública 2011;45(2):382-90 <Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/rsp/2011.v45n2/382-390/pt> Acesso em 19/02 as 09:00

ZARDETTO, Cristina Giovannetti Del Conte. Prevalência de cárie dentária em adolescentes residentes no município de São Paulo: Indicadores de risco e gravidade. 2004. Tese (Doutorado em Odontopediatria) – Faculdade de Odontologia, University of São Paulo, São Paulo, 2004. doi:10.11606/T.23.2004.tde-02022005-132339. Acesso em: 2018-02-19. <Disponível em; http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23132/tde-02022005-132339/en.php> Acesso em 19/02 as 08:50.

michele dierka nutricionista

Michele Dierka

Nutricionista | CRN 8-9350

“A palavra que define nutrição, para mim, é equilíbrio. Sem restrições severas, sem alimentos proibidos, sem dietas da moda e respeitando a individualidade de cada um com suas preferências e limitações.”

Graduada em nutrição pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná desde 2013 tem experiência em nutrição empresarial, com foco na melhoria da qualidade de vida e nutrição clínica, atuando com reeducação alimentar e terapia nutricional na atenção domiciliar.

Veja todos os posts de Michele Dierka