20 . jul . 2018 Maternidade  

Conheça o Método BLW de Introdução alimentar Participativa para seu bebê

Conheça o Método BLW de Introdução alimentar Participativa para seu bebê

Atualmente tem se falado muito sobre uma abordagem de introdução alimentar diferente daquela tradicional, onde se inicia com alimentos em forma de papa e evolui a consistência gradativamente. Essa nova abordagem de introdução alimentar participATIVA é conhecida como Baby-Led Weaning ou BLW, que significa desmame guiado pelo bebê.

Como funciona o Método BLW de Introdução alimentar Participativa?

O método propõe oferecer alimentos saudáveis em pedaços, tiras ou bastões, para que apenas o bebê coloque comida em sua própria boca. Assim, aos pais e cuidadores fica a responsabilidade de confiar no bebê e na sua capacidade fisiológica de decidir se deve ou não comer, o quanto comer e com que rapidez.

De modo geral o bebê come o que a família come, adaptando somente o formato do corte e o tempero (não é preciso adicionar sal).

Alguns possíveis benefícios atribuídos à introdução alimentar participativa são:

  • Incentivar a autonomia e controle da fome e saciedade desde bebê. Dessa maneira, o bebê aprende a comer por necessidade e somente o necessário para saciar a fome;
  • Possibilitar que o bebê conheça os alimentos e suas diferentes características: formas, cores, cheiros, texturas e sabores. Estimula um repertório alimentar variado;
  • Aumentar a disponibilidade do bebê para provar e experimentar coisas novas;
  • Estimular que a refeição seja vista como um momento agradável e prazeroso.

Quando começar a introdução alimentar?

A Organização Mundial da Saúde recomenda que a introdução alimentar se inicie aos 6 meses. É importante ter em mente esta data, porém sem pressa ou expectativa, afinal estamos falando de um método em que o bebê guia o processo.

Existem sinais de que o bebê está pronto para iniciar a alimentação complementar! Eles podem ser notados quando ele já consegue se sentar e se manter nesta posição sem ajuda, quando leva objetos e brinquedos a boca e quando começa a se interessar pelos alimentos.

7 orientações importantes para aplicar o Método BLW de Introdução alimentar Participativa

  1. Oferecer um alimento rico em ferro de alta disponibilidade em cada refeição (carnes em geral)
  2. Oferecer com regularidade os alimentos ricos em ferro de média e baixa disponibilidade como vegetais verde escuros e leguminosas.
  3. Deixar as leguminosas de molho, descartando a água do remolho antes de cozinhar para melhorar a absorção do ferro.
  4. Oferecer frutas fontes de vitamina C, como laranja, tangerina, morango, kiwi nas grandes refeições.
  5. Utilizar receitas para oferecer com segurança os alimentos que inicialmente o bebê não consegue agarrar, como no caso dos vegetais folhosos (exemplo: omelete com vegetais picadinhos).
  6. Oferecer ao menos um alimento energético em cada grande refeição como batata, mandioca, abóbora, abacate, carnes em geral e leguminosas.
  7. Oferecer uma variedade de alimentos, repetindo diversas vezes os alimentos recusados no princípio.

Leia também: 9 Dicas para lidar com a Seletividade Alimentar infantil e incluir com sucesso novos alimentos na rotina do seu filho!

Cuidados essenciais para evitar engasgos

Para evitar engasgos é importante cortar os alimentos redondos, como a cenoura, no sentido do comprimento.

Além disso, é aconselhado amaciar os vegetais e frutas duras, para torna-los mais fáceis de mastigar! Cozinhe-os rapidamente na água, forno ou vapor, o ideal é que não fique nem muito duro e nem muito mole.

Também deve-se retirar sementes e caroços dos alimentos antes de oferecer aos bebês.

É preciso ter em mente que o método BLW deve ser feito com o suporte e acompanhamento de um profissional capacitado que possa orientar os pais, esclarecer dúvidas, preocupações e garantir que a família esteja segura para colocar o método em prática.

Além disso, permitir que o bebê se alimente sozinho exige dedicação, paciência e disposição para limpar a sujeira depois!

Apesar dos benefícios sugeridos ainda não existem evidências científicas concretas de que o método BLW seja melhor que o método tradicional. A introdução alimentar é um processo complexo e deve considerar a rotina, limitações e possibilidades de cada família.

Referências

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDATRIA. Alimentação complementar e o método BLW (Baby-led weaning). Departamento Científico de Nutrologia. Guia Prático de Atualização, nº3, maio, 2017. Disponível em: http://pediatriadescomplicada.com.br/wpcontent/uploads/2017/05/Nutrologia-AlimCompl-Metodo-BLW.pdf

CONALCO. Guia prático para iniciar o baby-led weaning. 2017. Disponível em: https://conalco.com.br/wp-content/uploads/2017/03/Guia-Pr%C3%A1tico-BLW-4.pdf

Raquel Gaetani Nutricionista

Raquel Gaetani

Nutricionista | CRN 3-51512

Formada desde 2015 em Nutrição e Metabolismo pela Universidade de São Paulo (USP), especialista em Saúde da Família e Comunidade pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pós-graduanda em Comportamento Alimentar.

Apaixonada pela nutrição e pela cozinha, acredito na transformação da relação das pessoas com a comida. Por isso trabalho a alimentação para além de seu papel biológico de nutrir o corpo, mas principalmente considerando seus aspectos culturais, sociais e psicológicos.

Busco reaproximar as pessoas dos alimentos, da comida de verdade e do ato de cozinhar, incentivando uma alimentação equilibrada e prazerosa.

Acredito em uma nutrição gentil, que ofereça um cuidado verdadeiro, proporcionando sintonia entre corpo e mente através da reeducação alimentar, percepção corporal e desenvolvimento da autonomia. Uma nutrição que segue na contramão do nutricionismo e terrorismo nutricional que encontramos hoje em dia.

Veja todos os posts de Raquel Gaetani