fbpx
19 . set . 2017 Diabetes  Maternidade  Prevenção e Saúde  

Diabetes Gestacional e os cuidados com a alimentação

diabetes gestacional alimentação

A diabetes gestacional é a intolerância aos carboidratos que ocorre pela primeira vez durante a gestação e que pode ou não continuar após o parto.

É o problema mais comum na gestação e tem prevalência entre 3% e 25% das gestações.

Os fatores de risco para a Diabetes Gestacional

  • Idade de 35 anos ou mais
  • Sobrepeso, obesidade ou ganho excessivo de peso na gestação atual
  • Excesso de gordura corporal
  • História familiar de diabetes em parentes de primeiro grau
  • Crescimento fetal excessivo, hipertensão ou pré-eclâmpsia na gravidez atual
  • Antecedentes obstétricos de abortamentos de repetição, malformações, morte fetal ou neonatal
  • Baixa estatura (menos de 1,5 m)
  • Síndrome de ovários policísticos

Além desses fatores, o ganho exagerado de peso durante os nove meses e a alimentação inadequada (consumo em excesso de carboidratos refinados, açúcar e doces) também favorecem o aparecimento da diabetes gestacional.

Se você teve diabetes gestacional, tem um risco maior de desenvolver diabetes tipo 2. Por isso, após o parto é importante manter uma alimentação balanceada e o acompanhamento médico e nutricional.

Como é feito o diagnóstico da diabetes gestacional?

diabetes gestacional alimentação - diagnóstico

Na maioria dos casos, a diabetes gestacional é descoberta com exames de rotina durante a gravidez, como a glicemia em jejum, curva glicêmica e hemoglobina glicada.

Entre a 24ª e 28 ª semana de gestação deve-se realizar a curva glicêmica, que mede a velocidade com que seu corpo absorve a glicose após a ingestão. Esse é o principal exame para verificar a presença de diabetes gestacional.

A investigação de diabetes gestacional deve ser feita em todas as gestantes, mesmo aquelas sem diagnóstico prévio de diabetes.

Estou com diabetes gestacional, quais os cuidados que devo ter com relação a alimentação?

Fique atenta a essas dicas:

  • Evite comer por dois;
  • Faça de 5 a 6 refeições no dia;
  • Evite os alimentos ricos em açúcar e gordura;
  • Dê preferência a alimentos ricos em fibras (eles tem um índice glicêmico mais baixo, evitando picos de glicose alta). Exemplo: arroz, pães, torradas nas versões integrais;
  • Utilize alimentos fontes de fibras como quinoa, chia, linhaça, aveia e amaranto;
  • Escolha fontes de gorduras boas (azeite de oliva, óleo de girassol e castanhas por exemplo);
  • Evite doces e bebidas com açúcar;
  • Varie os alimentos durante o dia;
  • Evite açúcar refinado, mascavo ou demerara: todos são absorvidos muito rapidamente pelo organismo, elevando a glicemia;
  • Se necessário o uso de adoçante: prefira stévia (leia o artigo adoçantes na gestação);
  • Aumente o consumo de água (mínimo 2 litros);
  • Prefira as frutas com casca e evite os sucos;
  • Combine carboidratos com proteínas (por exemplo queijo + torrada integral ou iogurte + cereal);
  • Se o médico liberar, faça uma atividade física leve (caminhadas por exemplo).

 

Segue uma sugestão de cardápio para diabetes gestacional

 Diabetes Gestacional Alimentação - Sugestão de Cardápio | Café da ManhãL Leite semi ou desnatado + pão integral com queijo branco + 1 fruta Colação: Fruta com casca ou fruta + cereal (aveia ou chia) Almoço: Saladas de folhas + Arroz integral + Feijão + Peito de frango grelhado Lanche da Tarde: Iogurte com aveia + 1 fruta Jantar: Salada de brócolis + Macarrão integral com molho de tomate + carne magra Ceia: Uva passas + castanhas do pará ou mingau de aveia

Leia também: Você tem Diabetes? Inclua o brócolis na sua alimentação!

O plano alimentar para diabetes gestacional deve ser individualizado, por isso é importante conversar com seu nutricionista para que ele oriente quais as melhores adaptações a serem feitas na sua alimentação.

 

Referências

BRASIL. Sociedade Brasileira de Diabetes. Diabetes mellitus gestacional: diagnóstico, tratamento e acompanhamento pós-gestação. Diretrizes SBD 2014-2015.

SILVEIRA, LAURIANE; MARQUEZ, DANIELA. DIABETES GESTACIONAL: Consequências para a mãe e o recém-nascido. Disponível em: http://www.atenas.edu.br/Faculdade/arquivos/NucleoIniciacaoCiencia/REVISTAS/REVIST2013. 01/09/2017.

Giana M. Ross Toledo Nutricionista

Giana M. Ross Toledo

Nutricionista | CRN 8-1385

Formada em Nutrição pela Universidade Filadélfia de Londrina (UNIFIL) desde 2000 e pós-graduanda em Gestão de Qualidade de Alimentos pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) desde 2002.

Veja todos os posts de Giana M. Ross Toledo