01 . ago . 2015 Maternidade  

10 motivos para amamentar seu bebê

motivos para amamentar

Em 1º de agosto é comemorado o Dia Mundial da Amamentação, data criada com a finalidade de promover o aleitamento materno e a criação de bancos de leite, garantindo, assim, melhor qualidade de vida para crianças em todo o mundo. Você está em dúvida sobre a amamentação? Vem aprender a importância dela, e confira 10 motivos para amamentar seu bebê!

O aleitamento Materno é a forma mais adequada de Alimentação no início da vida

O leite possui mais de 200 elementos conhecidos e outros ainda não identificados. O leite da mãe é produzido especialmente para seu bebê, ele se altera para oferecer nutrição adequada às necessidades da criança.

O colostro e o leite materno são adaptados à idade gestacional, e o leite materno maduro muda a cada mamada, a cada dia e a cada mês para suprir as necessidades do bebê. Incrível né?

O leite humano é um fluido vivo que protege ativamente contra infecções! Nenhum outro alimento ou leite industrializado modificado é capaz de oferecer ao bebê todos os ingredientes do leite materno.

A amamentação é uma atividade básica, constituindo-se em uma das primeiras intervenções nutricionais, materiais e de saúde infantil que a mãe pode aprender para assegurar a saúde de seu filho. É um modo natural e apropriado de satisfação das necessidades da criança em desenvolvimento, sendo compatível com os ambientes ecológico, econômico e sanitário da mãe e do filho.

Atribui-se ao leite materno a prevenção de mais de 6 milhões de mortes em crianças menores de 12 meses a cada ano.

Os tipos de leite

O leite materno recebe diferentes denominações de acordo com as mudanças temporais na sua composição:

  • colostro (até 7 dias pós-parto)
  • leite de transição (do oitavo ao décimo quarto dia pós-parto) e,
  • leite maduro (após o décimo quinto dia).

Colostro e suas características

O colostro possui dez vezes mais caroteno do que o leite maduro, o que lhe confere cor amarela intensa. É rico em proteínas, minerais e fatores imunológicos. Atua no estabelecimento da flora intestinal predominantemente bífida e fornece ao recém-nascido uma grande quantidade de anticorpos.

No período de transição e no leite maduro, as mudanças na composição são bem mais lentas do que na fase inicial, variando, inclusive, do início para o final da mamada, em cada mamada, ao longo do dia, de acordo com as necessidades nutricionais do bebê.

Vantagens do Aleitamento Materno

Para a mamãe

O hormônio ocitocina, que favorece a descida do leite, também produz contração da musculatura uterina, contribuindo para expulsão da placenta e para redução do sangramento, prevenindo a hemorragia pós-parto.

Além disso, para a produção do leite, ocorre mobilização das reservas de gorduras maternas, acumuladas durante a gestação, colaborando ao retorno do peso materno normal.

A proteção contra câncer de mama e de ovário também se relaciona com a prática do aleitamento Materno.

Além das vantagens descritas, outro ponto crucial refere-se ao vínculo estabelecido entre Mãe e filho. Pode-se dizer que as mães que amamentam são menos ansiosas e expressam maior satisfação em alimentar e interagir com seus bebês.

Para o bebê

O aleitamento Materno é a maneira de garantir o crescimento e o desenvolvimento saudável do seu filho, por apresentar a composição ideal de nutrientes para o recém-nascido.

Podemos citar que bebês amamentados ao seio apresentam maior desenvolvimento cognitivo do que crianças alimentadas com fórmulas. Além disso, a prática do aleitamento Materno está associada a maior estabilidade emocional, e de comportamento, bem como melhor acuidade visual e habilidade motora e desenvolvimento do sistema nervoso do bebê.

O leite materno diminui a incidência e/ou a gravidade de diarreia, infecção respiratória baixa, otite média, bacteremia, meningite bacteriana, botulismo, infecção do trato urinário e enterocolite necrotizante.

A amamentação natural também se relaciona com o amadurecimento da função oral, pela correta posição durante a mamada, favorecendo o desenvolvimento dos músculos e ossos da face, evitando também os distúrbios dos órgãos formadores e a síndrome da respiração bucal.

Para a família e o meio ambiente

A prática do aleitamento materno também é um ato ecológico, pois:

  • Evita o incentivo à produção de lixo, uma vez que o leite não precisa de embalagem e é produzido na quantidade certa para cada criança.
  • Resíduo proveniente do leite materno é totalmente biodegradável, pois são fezes dos bebês.
  • O leite materno está sempre pronto para ser usado, na temperatura ideal, não precisa ser esterilizado e não agride a natureza.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza leite materno exclusivamente até seis meses; portanto, durante esse período, não é necessária oferta de água e outros alimentos.

Se você quer um motivo para dar o peito, nós damos 1o motivos para amamentar seu bebê!

1. O melhor!

O leite materno é o melhor e mais completo alimento que existe para o bebê.

2. Só ele basta

Até os seis primeiros meses de vida, o bebê não precisa de nenhum outro tipo de alimento, basta o leite materno.

3. Desenvolvimento do seu bebê

A criança que mama no peito cresce e se desenvolve melhor. Lembre-se: os seis primeiros meses de vida são os mais importantes para o desenvolvimento do bebê.

4. Menos enjôos

A digestão do leite maternos é mais fácil, diminui a chance de enjôos e cólicas.

5. Filho saudável

O leite maternos previne infecção, obesidade, colesterol alto, diabetes. O bebê cresce mais forte e sadio.

6. Xô alergias

Está comprovado que bebês alimentados somente com o leite materno nos primeiros seis meses de vida ficam menos sujeitos à alergia.

7. De graça e perfeito!

O leite maternos é de graça, está sempre pronto, e na temperatura ideal.

8. Melhora do pós parto

Amamentar previne hemorragia materna no pós parto.

9. Saúde materna

Amamentar diminui o risco de câncer de mama e de ovário.

10. Vínculo para o resto da vida

Além de tudo, amamentar é um ato de amor e carinho tanto para a mãe quanto para o bebê. Observe como seu filho fica mais tranquilo quando você amamenta.

Por Amanda Duarte
Nutricionista – CRN 9098/P

Referências

CHEMIN S.M.S.S.; MURA J.D.P. Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia. São Paulo: Roca, 2010. HIRSCHBRUCH M.D. Nutrição Esportiva: Uma Visão Prática. 3.ed. Barueri, São Paulo: Manole, 2014.