22 . ago . 2017 Dietas  Emagrecimento  Rotina Alimentar  

8 segredos sobre as dietas restritivas que ninguém te conta

dietas restritivas

Você é o tipo de pessoa que quando quer perder uns quilinhos vai correndo na internet procurar alguma dieta da moda pra te ajudar? Você passa horas lendo todos os tipos, passo a passo de como fazer cada uma e lendo testemunhos de pessoas que já fizeram para então escolher a que perde mais peso pra você começar a seguir? Então esse artigo foi feito especialmente pra você!

A “indústria das dietas” aumenta a cada dia devido ao número de pessoas que estão em busca do corpo ideal! Você já percebeu que sempre surge alguma dieta nova?

Um dia quem está no auge é a dieta dos pontos, no outro já surge a low carb, uma semana depois aparece a dieta do tipo sanguíneo,Dieta do HCG…e não vai parar tão cedo!

“Ah, mas minha amiga fez a dieta x e perdeu 15 kg em 2 meses”

Ok! Mas o que tem por trás dessas dietas restritivas, além da perda de peso?

Listamos 8 pontos muito importantes que ninguém fala sobre seguir essas dietas restritivas e que vão fazer você mudar de ideia sobre elas!

1. Perda de massa muscular!

Reduzir o peso na balança não significa que está sendo uma perda saudável! As dietas restritivas provocam perda de peso, lógico, porém esse peso não se restringe apenas a gordura corporal.

Nosso corpo precisa de combustível para funcionar, se você está numa dieta restritiva e não fornece esse combustível de maneira adequada o seu corpo se vira nos 30 pra manter tudo funcionando normalmente. E aí chegamos no ponto onde a maioria se engana: Ele vai utilizar suas reservas de gordura para ter energia? NÃO! Seu corpo utiliza principalmente seus músculos como fonte de energia. Ou seja, você terá perda de peso sim, porém ela ocorre principalmente pela perda de massa muscular e também pela perda de água.

2. Seu metabolismo fica mais lento

Nossa massa muscular interfere diretamente na nossa taxa de metabolismo basal (quanto o nosso corpo queima em calorias mesmo em repouso), ou seja, quanto menos músculos nós temos, menos calorias nós gastamos!

3. Você pode recuperar seu peso após o término da dieta

Uma dieta restritiva não dá para levar por muito tempo! Você já imaginou viver o resto da sua vida comendo apenas 800 kcal/dia, ou contando pontos, ou nunca mais poder comer aquela pizza que você adora? Pois é! As dietas são temporárias e os resultados também serão.

Lembra que o seu metabolismo ficou mais lento devido à perda de massa muscular? Quando você voltar a sua rotina normal de alimentação com certeza irá ingerir mais calorias do que estava habituada com a dieta e isso pode levar ao ganho de peso.

Estudos mostram que a grande maioria das pessoas que fizeram dieta ganharam mais peso após a restrição do que o que haviam perdido, ou seja, você pode perder 10 kg, mas depois pode ganhar além disso!

4. Deficiência de nutrientes

Quando restringimos calorias também reduzimos a oferta de carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais que são fundamentais para o funcionamento adequado do nosso corpo. Com esse desequilíbrio de nutrientes podemos desenvolver alguns “efeitos colaterais” como: irritabilidade, dor de cabeça, cansaço, tontura etc.

5. Você pode desenvolver uma compulsão alimentar

A dieta é um ato de restrição de comer e essa privação de alimentos pode desencadear uma emoção negativa e prejudicar seu bem-estar psicológico, podendo levar a quadros depressivos, de ansiedade, diminuição da autoestima, aumento do estresse, etc. e resultar em comportamentos de compulsão alimentar e favorecer o ganho de peso.

6. Você vai se alimentar por “obrigação”, não por prazer.

Essas dietas muitas vezes terão alimentos que você não gosta e você vai comer porque falaram que ele emagrece!

As dietas passam muito essa ideia de que alimentos são vilões e mocinhos, mas isso não existe! Se tivesse algum alimento mágico para ganhar ou perder peso tudo seria mais fácil, não é? Mas não é assim que funciona, nenhum alimento tem poder sozinho! Não é porque sua dieta tem óleo de coco, chia e chá verde, que você vai emagrecer.

Dietas restritivas vão te deixar com medo de comer, além de tirar todo o prazer que a alimentação nos proporciona.

7. Não é porque funcionou pra sua amiga que também vai funcionar pra você!

Essas dietas são criadas mas não levam em consideração que cada organismo tem sua “identidade”. O metabolismo da sua amiga não é igual o seu, o jeito que a sua amiga reage ao estresse causado pela dieta é diferente do jeito que você irá lidar, portanto os resultados também não serão os mesmos.

Além disso, essas dietas não levam em consideração a existência de alguma doença, o que torna muito mais perigoso ficar seguindo qualquer tipo de dieta que você encontra na internet.

8. Dieta não muda hábitos!

O número de pessoas que possuem sobrepeso e obesidade vem crescendo a cada ano e esse aumento de peso ocorre devido ao estilo de vida e hábitos alimentares errados que temos! Fazer uma dieta não mudará seus hábitos, assim que você chegar no peso que deseja (ou enquanto conseguir levar adiante essas dietas restritivas) vai voltar a sua rotina normal de alimentação, com os velhos hábitos alimentares que você tinha antes, o peso vai voltar a subir e você vai viver nesse “ciclo vicioso das dietas”.

ciclo das dietas restritivas

Ter uma alimentação saudável é fundamental, mas pra isso é necessário mudar hábitos, não restringir calorias e alimentos. A refeição deve ser um momento prazeroso, não de culpa!

Quer perder peso? Não faça dieta, reeduque-se! Aprenda a fazer escolhas melhores, respeitar sua fome, suas preferências, aversões e tenha uma vida mais saudável e sem neura!

Ah, e não precisa esperar a segunda-feira chegar, pode começar hoje mesmo: confira algumas dicas aqui. 🙂

Referências

DERAM, Sophie. O peso das dietas: Emagreça de forma sustentável dizendo não às dietas. 1 ed. São Paulo: Sensus, 2014.

TOMYIAMA A.J, et al. Low Calorie Dieting Increases Cortisol. Psychosom Med. 2010; 72(4): 357–364

Isabela Costa Feitosa

Nutricionista | CRN 6-12899

Formada em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo desde 2011 e já atuou como nutricionista clínica no Hospital Igesp no período entre os anos de 2012 e 2013. Atualmente, é nutricionista na Energié, auxiliando colaboradores e gestores a terem melhor qualidade de vida por meio da reeducação alimentar.

Veja todos os posts de Isabela Costa Feitosa