21 . ago . 2018 Comportamento Alimentar  Equilíbrio  

Alimentação equilibrada não é sinônimo de alimentação perfeita!

Alimentação equilibrada não é sinônimo de alimentação perfeita!

O que você considera como uma alimentação equilibrada? Reflita por um minuto sobre isso.

É o que você costuma seguir? É o que você costuma fazer quando decide mudar a alimentação ou emagrecer?

É importante que o que você pensa ser uma alimentação equilibrada seja similar ao que você faz, do contrário acaba sendo difícil seguir algo em que não se acredita.

Gosto muito da definição da escritora Ellym Satter (2008) sobre o que seria uma alimentação normal e equilibrada. Segue o texto traduzido:

Comer normal é ser capaz de comer quando você está com fome e continuar comendo até você ficar satisfeito.

É ser capaz de escolher os alimentos que você gosta e comê-los até aproveitá-los suficientemente – e não simplesmente parar porque você acha que deveria.

Comer normal é ser capaz de pensar um pouco para selecionar alimentos mais nutritivos, mas sem ser tão preocupado e restritivo a ponto de não comer os alimentos mais prazerosos.

Comer normal é dar permissão a você mesmo para comer às vezes porque você está feliz, triste ou entediado ou apenas porque é tão gostoso.

Comer normalmente é, na maioria das vezes, fazer três, quatro ou cinco refeições por dia, ou deixar sua fome guiar quantas vezes vai comer ao longo do dia.

É também deixar de comer algum pedaço de bolo porque você pode comer mais amanhã ou então comer mais agora porque ele é maravilhoso enquanto ainda está quentinho.

Comer normalmente é comer em excesso às vezes e depois se sentir estufado e desconfortável. Também é comer pouco de vez em quando, desejando ter comido mais.

Comer normalmente é confiar que seu corpo conseguirá corrigir os pequenos ‘’erros’’ da sua alimentação.

Comer normalmente requer um pouco de seu tempo e atenção, mas também ocupa o lugar de apenas uma área importante, entre tantas, da sua vida.

Resumindo, o ‘’comer normalmente’’ é flexível. Ele varia em resposta às suas emoções, sua agenda, sua fome e sua proximidade com a comida e seus sentimentos.

Ellym Satter

AFINAL, O QUE É UMA ALIMENTAÇÃO EQUILIBRADA?

O equilíbrio é um meio-termo, é um estado em que tudo existe na proporção exata. O oposto disto, o desequilíbrio, é o estado em que algo foi levado ao extremo. Seja o saudável demais se transformando em um transtorno alimentar, como a ortorexia ou o saudável de menos, podendo acarretar em uma doença como o diabetes mellitus.

Portanto ter uma alimentação equilibrada é não ter uma alimentação perfeita.

É buscar melhores escolhas nutricionais, mas nem sempre fazê-las, é pensar sobre o que comer, mas ao mesmo tempo não prender sua vida em torno disto. Uma alimentação equilibrada deve ter frutas e verduras, mas também deve ter bolo e brigadeiro. Uma alimentação equilibrada deve gerar satisfação e não culpa!

Aliás, estudos mostram que comer com culpa faz as pessoas comerem mais e não menos. Portanto seja flexível com você, escute seu corpo, sua fome e seus desejos. Encontre o seu equilíbrio!

Referências

SOPHIE DERAM. O que é comer normal. Disponível em: https://www.sophiederam.com/br/blog/comportamento-alimentar/o-que-e-comer-normal/

CHOPRA, D. Você tem fome de quê? Editora Alaúde, 2017.

Raquel Gaetani Nutricionista

Raquel Gaetani

Nutricionista | CRN 3-51512

Formada desde 2015 em Nutrição e Metabolismo pela Universidade de São Paulo (USP), especialista em Saúde da Família e Comunidade pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pós-graduanda em Comportamento Alimentar.

Apaixonada pela nutrição e pela cozinha, acredito na transformação da relação das pessoas com a comida. Por isso trabalho a alimentação para além de seu papel biológico de nutrir o corpo, mas principalmente considerando seus aspectos culturais, sociais e psicológicos.

Busco reaproximar as pessoas dos alimentos, da comida de verdade e do ato de cozinhar, incentivando uma alimentação equilibrada e prazerosa.

Acredito em uma nutrição gentil, que ofereça um cuidado verdadeiro, proporcionando sintonia entre corpo e mente através da reeducação alimentar, percepção corporal e desenvolvimento da autonomia. Uma nutrição que segue na contramão do nutricionismo e terrorismo nutricional que encontramos hoje em dia.

Veja todos os posts de Raquel Gaetani