22 . out . 2016 Dietas  Gastrointestinal  Prevenção e Saúde  

Dieta com baixo teor de FODMAPs é muito eficaz no controle dos distúrbios gastrointestinais

Dieta com baixo teor de FODMAPs

Os distúrbios gastrointestinais afetam um grande segmento da população mundial. Hoje vamos falar da dieta com baixo teor e FODMAPs e como ela ajuda na saúde do sistema gastrointestinal!

Quais os sintomas gastrointestinais?

Os sintomas gastrointestinais normalmente ocorrem de forma recorrente ou crônica, atingindo a faringe, esôfago, estômago, trato biliar, intestino ou a região anorretal.

Os mais comuns são:

  • pirose (azia/queimação)
  • dor ou desconforto abdominal
  • distensão abdominal (empachamento e gases)
  • constipação.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 20% da população sofre de problemas no aparelho digestivo e, dentre estes, cerca de 90% não procuram assistência médica para diagnosticar corretamente o problema. As enfermidades do sistema gastrointestinal podem impactar seriamente a saúde, pois podem comprometer a nutrição do organismo.

Fique atento!
A repetição do quadro de um ou mais sintomas requer acompanhamento médico para diagnóstico preciso.

A Dieta com baixo teor de FODMAPs

Uma dieta equilibrada é indispensável para prevenção e controle dos sintomas do trato gastrointestinal. No caso desses sintomas serem decorrentes de uma intolerância alimentar, o tratamento se baseia na exclusão do alimento ou aditivo alimentar da dieta do indivíduo.

A dieta com baixo teor de FODMAPs é uma abordagem alimentar que tem se mostrado muito eficaz para controle de distúrbios gastrointestinais, especialmente para o tratamento de pacientes com Síndrome do Intestino Irritável (SII), caracterizada por:

  • dor e inchaço abdominal,
  • gases,
  • e alterações na evacuação (variando entre diarreia e constipação).

Como é feito o diagnóstico da Síndrome do Intestino Irritável (SII)

Segundo o Critério de Roma III, o diagnóstico da Síndrome do Intestino Irritável (SII) é feito através de dor ou desconforto abdominal recorrente nos últimos 6 meses, durante pelo menos 3 dias ao mês, nos últimos 3 meses. Associado a isso devem estar presentes pelo menos duas dessas 3 características:

  • Melhora com a evacuação
  • Início associado a alterações na frequência das evacuações (diarreia, prisão de ventre)
  • Início associado a alterações na forma ou aparência das fezes (líquidas, pastosas, endurecidas)

O que é FODMAP?

Fermentable Oligosaccharides, Disaccharides, Monosaccharides And Polyols

Os óligo, monossacarídeos e polióis fermentáveis (FODMAPs), são um conjunto de carboidratos osmóticos encontrados em grãos como trigo, cevada e centeio, e outros alimentos como leite, alho, cebola, feijão, brócolis, pimentão, maçã e melancia.

Algumas pessoas podem ter dificuldade de digerir esses FODMAPs, e a fermentação e má absorção desses carboidratos pode levar ao aparecimento dos sintomas gastrointestinais citados acima.

Tipos de FODMAPs

➞ Monossacarídeos (Frutose)

Xarope de milho, mel, néctar de agave, maçã, pera, manga, aspargos, cereja, melancia, sucos de fruta, ervilha.

➞ Dissacarídeos (lactose)

Leite de vaca, leite de cabra, leite de ovelha, soverte, iogurte, nata, creme, queijo ricota e cottage.

➞ Oligossacarídeos (fructans)

Cebola, alho, alho-poró, trigo, cuscuz, farinha, massa, centeio, caqui, melancia, chicória, dente-de-leão, alcachofra, beterraba, aspargos, cenoura vermelha, quiabo, chicória com folhas vermelhas, couve.

➞ Oligossacarídeos (GOS)

Lentilhas que não foram enlatadas, grãos de bico que não foram enlatados, grãos enlatados, feijão, ervilha, grãos integrais de soja.

➞ Polióis

Xilitol, manitol, sorbitol, glicerina, maçã, damasco, pêssego, nectarina, pêra, ameixa, cereja, abacate, amora, lichia, couve-flor, cogumelos.

Resultados obtidos com a dieta com baixo teor de FODMAPs

A dieta pobre em FODMAPs não é fácil, mas é prescrita apenas temporariamente, apresentando uma taxa de redução nos sintomas pela metade em cerca de 75% dos pacientes com SII.

Após o período de 6 a 8 semanas de tratamento, os alimentos retirados passam a ser novamente introduzidos de forma gradativa a fim de se identificar os alimentos que funcionam como “gatilho” dos sintomas, até que se alcance a tolerância.

É importante que a dieta seja acompanhada por nutricionista e que não se estenda por mais do que 8 semanas, já que a restrição de alimentos ricos em FODMAP pode ocasionar consumo insuficiente de fibras, carboidratos e cálcio, além de excluir alimentos saudáveis, o que pode causar constipação e desregulação da flora intestinal.

Como identificar os alimentos que desencadeiam algum tipo de desconforto?

  • Caso apareça algum sintoma, preste atenção nos alimentos que ingeriu.
  • Fique atento ao que não está acostumado a comer regularmente.
  • Evite todo alimento que te fez mal por pelo menos uma semana.
  • Se os sintomas persistirem, procure um profissional para melhor orientá-lo na retirada de alimentos “gatilho”.

Como funciona a dieta com baixo teor de FODMAPs?

  1. Retira-se os alimentos ricos em FODMAP por 4 a 8 semanas (é possível observar melhora dos sintomas já na primeira semana, mas a dieta deve ser continuada).
  2. Se não houver melhora dos sintomas em 8 semanas, descontinua-se a dieta.
  3. A dieta deve ser acompanhada por nutricionista para evitar deficiências.
  4. Após a dieta de exclusão, os alimentos ricos em FODMAP são reintroduzidos para avaliar tolerância individualizada. A reintrodução pode ser por alimentos ou por grupos de alimentos.

FODMAPs: Confira a Lista de Alimentos

Eliminar
(Alto teor de FODMAPs)

Moderar
(médio teor de FODMAPs)

Liberado
(baixo teor de FODMAPs)

FRUTAS

Maçã, damasco, abacate, amora, cereja, figo, sucos de fruta, lichia, manga, nectarina, pêra, caqui, ameixa, melancia. Abacate, chips de banana, coco ralado, toranja, romã, uva passa. Banana, mirtilo, uva, melão, kiwi, limão, limão-galego, laranja, maracujá, abacaxi, framboesa, ruibarbo, carambola, morango.

VEGETAIS

Aspargo, alcachofra, beterraba, couve-flor, chicória, milho, alho, cebolinha verde (a parte branca), cogumelo, quiabo, cebola, ervilha, ervilha. Alcachofra, brócolis, couve, abóbora, aipo, repolho verde, couve lombarda, batata doce, tomate. Broto de alfafa, broto de feijão, pimentão, cenoura, pimenta, pepino, berinjela, endívia, erva-doce, feijão verde, couve, alho-poró, alface, azeitona, tomate, cebolinha verde (parte verde), espinafre, abobrinha, acelga, nabo, abobrinha.

AMIDO E LEGUMES

Cevada, cuscuz, feijão, centeio, soja, trigo. Trigo mourisco, grão de bico enlatado, aveia sem glúten, lentilha enlatada, pão sovado. Pão de milho sem glúten, pão de milho, pão sem glúten, farinha sem glúten, massa sem glúten, painço (ou milho miúdo), quinoa, arroz, tapioca, tofu.

LÁCTEOS

Coalhada, queijo cottage, pudim, sorvete, leite (vaca, cabra, ovelha), nata, leite de soja, iogurte. Manteiga, leite de coco, leite sem lactose, leite de arroz, chantilly. Queijo de trigo, queijo feta, queijo mozzarella, queijo parmesão, cheddar e queijo suíço.

GRÃOS E NOZES

Caju, pistache. Amêndoas, semente de linhaça, avelã. Nozes, semente de chia, noz macadâmia, amendoim, manteiga de amendoim, pinhão, sementes de gergelim, semente de girassol, nozes.

CARNES

Carnes processadas que contêm trigo, alho, cebola. Carne de boi, carne de frango, carne de pato, ovos, peixe, cordeiro, carne de porco, frutos do mar, tofu, peru.

CONDIMENTOS OU ENLATADOS

Condimentos que contêm trigo, alho, cebola, ketchup, maionese, mostarda, molho japonês, massa de tomate. Vinagre balsâmico (aromático). Vinagre feito de champanhe, molho de peixe, suco de limão, óleos diversos, molho de ostra, vinagre de vinho tinto, molho de soja sem glúten, vinagre feito de vinho branco.

ERVAS E PIMENTAS

Alho e cebola em pó. Pimenta da Jamaica, canela, pimenta em pó sem cebola e alho. Manjericão, folhas de louro, pimenta de caiena, cebolinha-capim, coentro, gengibre, hortelã, semente de mostarda, orégano, páprica, salsa, pimenta, pimenta vermelha em pó, alecrim, sal, tomilho, açafrão.

SOBREMESA

Mel, qualquer produto com manitol, sorbitol, xilitol. Potássio, aspartame, açúcar mascavo, xarope de bordo, sacarose, açúcar cristal, açúcar refinado.

Fizemos um exemplo de cardápio com Baixo teor de FODMAPs para você!

Dieta com baixo teor de FODMAPs - Exemplo de cardápio

Confira umas receitas para uma dieta com baixo teor de Fodmaps

Overnight Chia Oats

Dieta com baixo teor de FODMAPs - Receita de Overnight Chia Oats

Ingredientes

  • 1 xícara (chá) de aveia sem glúten
  • ¼ xícara (chá) de chia
  • ¼ xícara (chá) de coco ralado sem açúcar
  • 1 ¼ xícara (chá) de leite de coco
  • 1 banana média
  • ½ xícara (chá) de amora
  • ½ xícara (chá) de morangos picados
  • 2 colheres (sopa) de canela
  • 1 pitada de sal

Modo de Preparo

Lave as frutas, pique o morango e reserve. Misture todos os ingredientes secos em uma tigela grande, despeje o leite de coco e mexa. Divida a mistura em cinco potes de vidro menores, intercalando uma camada da mistura com uma camada de frutas. Deixe refrigerar da noite para o dia seguinte antes de servir.

Panqueca Americana de Abóbora

Dieta com baixo teor de FODMAPs - Receita de Panqueca Americana de Abóbora

Ingredientes

  • 1 colher (sopa) de leite sem lactose
  • 1 colher (chá) de vinagre de vinho branco
  • 2 colheres (sopa) de farinha de coco
  • 1 xícara (chá) de farinha de arroz
  • 1 colher (chá) de fermento sem glúten
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher (chá) de canela
  • ¼ xícara de abóbora cozida
  • 2 ovos
  • 2 colheres (sopa) de óleo de coco
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha

Modo de Preparo

Misture o leite com o vinagre em uma tigela pequena. Em um recipiente maior, misture os ingredientes secos. Misture a abóbora com os ovos, óleo e essência até ficar homogêneo, depois adicione o leite e as farinhas, mexendo devagar. Cozinhe em frigideira antiaderente com um fio de óleo por 2 minutos em cada lado.

Rende 6 panquecas.

Mini quiche no presunto

Dieta com baixo teor de FODMAPs - Receita de Mini quiche no presunto

Ingredientes

  • 6 fatias de presunto sem glúten
  • 6 unidades de tomate cereja
  • ½ xícara (chá) de cebolinha (só a parte verde), cortada
  • 4 ovos batidos
  • 2 colheres (sopa) de farinha de arroz
  • 4 colheres (sopa) de leite sem lactose
  • 1 pitada de sal
  • 1 pitada de pimenta do reino

Modo de Preparo

Pré-aqueça o forno a 180ºC e coloque as fatias de presunto em 6 formas de quiche ou muffins. Numa tigela, coloque a farinha e misture lentamente o leite. Adicione os ovos, o sal e a pimenta e bata bem até ficar homogêneo. Adicione a cebolinha e os tomates cortados. Coloque a mistura nas fatias de presunto e leve ao forno por 15-20 minutos até que as quiches estejam fofas e o presunto crocante. Deixe esfriar por 10 minutos e desenforme cuidadosamente cada quiche.

Bolinhos de atum e abobrinha

Dieta com baixo teor de FODMAPs - Receita de Bolinho de Atum e Abobrinha

Ingredientes

  • 1 lata de atum natural
  • 2 batatas médias, cozidas e cortadas em quadrados pequenos
  • 1 abobrinha média ralada
  • 1 cenoura média ralada
  • 2 colheres (sopa) de alcaparras
  • ½ xícara (chá) de cebolinha (apenas a parte verde), picada
  • 3 colheres (sopa) de farinha de arroz
  • 1 ovo
  • 1 pitada de sal
  • 1 pitada de pimenta do reino (opcional)
  • 6 colheres (sopa) de azeite ou outro óleo de sua preferência

Modo de Preparo

Rale a abobrinha num escorredor e pressione para retirar o excesso de água da abobrinha. Numa tigela grande, misture o atum, as batatas, a cenoura ralada, a abobrinha, a cebolinha, alcaparras sal e pimenta e mexa gentilmente. Adicione a farinha e o ovo e misture. Aqueça uma frigideira antiaderente com um fio de azeite. Para cada bolinho, use 1 colher de sopa da massa, frite e vire até que todos os lados estejam dourados.

 

Referências

ANDRADE VLA, FONSECA TN, GOUVEIA CA, KOBAYASHI TG, LEITE RGS, MATTAR RA, SILVA FAA. Dieta restrita de FODMEPs como opção terapêutica na síndrome do intestino irritável: revisão sistemática. GED gastroenterol. endosc. dig. 2014: 34(1): 34-41

BRASIL. Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral. O que é FODMAP? Disponível em: http://www.sbnpe.com.br/news-braspen/o-que-e-fodmap/ Acesso em: 17 de outubro de 2016.

My Gut Feeling (Blog – Receitas). Disponível em: http://www.mygutfeeling.eu/ultimate-low-fodmap-recipe-roundup/ Acesso em: 17 de outubro de 2016.

WGO (World Gastroenterology Organisation). WGO Global Guidelines. Common GI symptoms in the community. Maio, 2013.

Letícia Watanabe Ribeiro

Nutricionista | CRN 3-41511

Formada em nutrição pela Universidade de São Paulo desde 2014 e coleta mais de três anos de experiência na área, atuando na reeducação alimentar em empresas que procuram aumentar seu desempenho com a mudança de cultura.

Veja todos os posts de Letícia Watanabe Ribeiro