fbpx

Vença o efeito sanfona: não faça dietas restritivas!

Vença o efeito sanfona: não faça dietas restritivas!

Você sabia que 95% das pessoas que perdem peso com dietas restritivas sofrem do efeito sanfona e voltam a engordar? E, às vezes, ganham mais peso do que tinham antes de começar a dieta?

Afinal, o que é dieta?

O termo “dieta” vem do grego “díaita”, que significa “modo de vida” e está relacionado ao conjunto de comidas e bebidas consumido por um indivíduo ou grupo. Mas pode ser usado em vários contextos, popularmente sendo associado a dietas de emagrecimento e privação de alimentos.

Assim, evitamos associar o termo “dieta” com uma mudança alimentar equilibrada!

No geral, o termo dieta está associado a um processo de:

  • grande restrição alimentar
  • tempo limitado de duração
  • sensação de fracasso
  • insucesso em mudança de comportamento
  • e prejuízos à saúde.

Por conta disso, o termo “dieta restritiva” é utilizado como oposto a uma mudança alimentar equilibrada, idealmente acompanhada por um nutricionista.

Por que as dietas falham e o efeito sanfona vence?

Quando você faz dieta, e passa por um período com pouco alimento, acaba ativando um mecanismo natural do corpo que te faz comer mais e gastar menos calorias!

Como assim? Por quê isso acontece?

Efeitos da dieta no nosso organismo

  • Mudam nosso metabolismo: redução do quanto o corpo gasta de energia
  • Mudam nossa composição corporal: você perde massa magra
  • Causam mudanças neuroendócrinas: você começa a sentir mais fome e perdemos os sinais de saciedade
  • Levam a descontrole alimentar: quando você dá aquela deslizada na “dieta”, acaba aproveitando e comendo tudo o que vê pela frente – “Já que eu comi um chocolate, vou comer outro e outro, depois eu volto à dieta!”
  • Causam efeito sanfona: você volta a ganhar o peso que você perdeu e a sensação de fracasso te domina (para, daqui a pouco, você voltar a fazer dieta!)

Além disso, você fica pensando em comida o tempo todo! O que posso comer? O que não posso comer? E sente culpa ao comer o que “não pode”.

A obsessão por comida toma conta e, no fim, acaba criando um caos e um ciclo vicioso: a sensação de estar “comendo errado” faz com que você restrinja novamente, o que te faz “comer errado” novamente, e assim o ciclo flui. Seu corpo, coitado, não consegue manter essa mudança e acaba exagerando depois!

Você se sente incapaz e fracassado, sendo que o que não funciona é a dieta em si!

Brilha aos olhos os apelos das dietas, porque vão de encontro ao que muitas pessoas buscam – perda de peso, beleza, aceitação social!

Porém, dietas não levam a mudança de comportamento e resultado eficaz.

Vale lembrar que a dieta é um dos produtos de uma indústria poderosa e te deixar sempre insatisfeita é uma maneira de vender seus produtos!

Leia também: Cuidado com as dietas restritivas! A história da Joana.

Se não é pra fazer dieta, então o quê?

Reeduque-se, não faça dieta! A maneira eficaz para ter saúde e vencer o efeito sanfona é ter uma alimentação equilibrada, comendo de tudo com moderação. A alimentação deve ser baseada em alimentos naturais e as refeições realizadas com atenção plena.

Além disso, pratique exercícios físicos regularmente!

Saia fora desse ciclo vicioso! Evite seguir nas redes sociais páginas de dietas ou musas fitness que não são confiáveis. Fuja de soluções simples e milagrosas, nosso corpo é muito complexo e merece cuidado e respeito!

elisa yumi nutricionista

Elisa Yumi Koyama da Silva

Nutricionista | CRN 3-47046

Acredita que o respeito à cultura alimentar e a abordagem comportamental são fundamentais para o acompanhamento nutricional. Afinal, o que comemos diz muito sobre quem somos e sobre nossa história. Defende que a relação entre nutricionista e paciente deva ser de construção conjunta e o nutricionista apenas um facilitador das conquistas que estão dentro de cada um.

“Poder trabalhar empoderando as pessoas e promovendo saúde e bem-estar é muito gratificante, principalmente ao ampliar a alimentação para os aspectos psicológicos, emocionais e sociais.”

Dá muita importância ao resgate do prazer em comer, ao respeito ao corpo e à autonomia dos indivíduos sobre suas escolhas alimentares. Acredita que o papel do nutricionista é muito bonito ao ampliar o real significado da alimentação a quem tem diferentes objetivos nutricionais!

Veja todos os posts de Elisa Yumi Koyama da Silva